Nonato nega que haja crise entre Cássio e Ricardo

O secretário de Comunicação Institucional do Governo da Paraíba, Nonato Bandeira, negou que tenha havido um distanciamento entre o senador mais votado do Estado, Cássio Cunha Lima (PSDB) e o governador Ricardo Coutinho (PSB). Em entrevista concedida ontem à noite à TV Arapuan, o jornalista disse que os contatos entre o socialista e o tucano são frequentes, informou que os dois viajarão juntos a Recife amanhã para tratar de assuntos relativos à implantação da Associação de Assistência à Criança Deficiente (AACD) e comentou que o silêncio mantido por Cássio sobre assuntos palpitantes como a greve da PM e as queixas de servidores públicos seria fruto apenas do "momento difícil" porque passa o ex-governador, ao ser o mais votado para o Senado e não conseguir assumir o cargo:

– O governador Ricardo Coutinho tem contatos frequentes com o senador Cássio Cunha Lima. Na quarta-feira, eles vão a Recife. Cássio tem contatos diretos com os secretários. Ele teve a iniciativa desse trabalho com a AACD. Ele pediu um vídeo para apresentar a cidade de Campina Grande em Recife. Mas, sabemos que ele passa por um momento difícil. Teve mais de um milhão de votos e não assumiu o mandato por causa da retroatividade de uma lei criada ano passado. Ele merece nesse momento a nossa solidariedade. Não existe crise, até porque nem os socialistas estão 100% satisfeitos. Isso é natural. Às vezes a gente não agrada a classe política. É natural que os políticos queiram emplacar seus aliados para mostrar prestígio. Mas, tem vários membros do PSDB no Governo. Não existe rompimento. O governo está começando e nós temos a colaboração do ex-governador Cássio.

Nomeação de maranhistas – No Conexão Arapuan, Nonato ainda comentou as queixas feitas por aliados do PSB a respeito da suposta nomeação de adversários para cargos comissionados:

– Há uma contradição quando insinuam que estaríamos perseguindo antigos adversários e nomeando pessoas ligadas aos aliados. Outra hora dizem que estamos nomeando os maranhistas para o Governo. Essa questão de caça às bruxas não combina com o estilo de Ricardo Coutinho e nem com os novos tempos. Não vejo problema em um cidadão que votou em José Maranhão ser nomeado. Não vejo problema. Evidentemente, é preciso prestigiar aliados e isso está sendo feito, mas há alguns técnicos que devem ser conquistados para o nosso projeto, embora tenham tido outro entendimento na hora de votar. Em alguns setores, isso desperta ciumeira. Tem gente que pergunta porque o governador fez convênio de transporte escolar com todos os municípios, inclusive com os prefeitos adversários. Mas, a nossa política não é excludente.

Alargamento da base – Outro tema abordado por Nonato foi a adesão do vereador Hervázio Bezerra, que deve assumir hoje o mandato como deputado estadual, numa articulação que pode dar à base governista mais dois reforços, já que estão sendo especulados os nomes dos deputados Márcio Roberto e Trocolli Júnior, ambos do PMDB

"Ricardo Coutinho disse que todos são bem vindos. Não vamos estabelecer parâmetros. Quanto a Hervázio Bezerra, eu diria que ele trocou o certo pelo mais certo ainda. Hervázio vai ter um crescimento na Assembleia e vai receber os aplausos de todos porque ele é um político que pensa e executa e sabe onde quer chegar".

Dossiê contra Maranhão – Finalmente, o secretário de Comunicação negou que o governador tenha entregue à presidenta Dilma Rousseff uma documentação apontando falhas na gestão do antecessor, José Maranhão (PMDB), com a finalidade de barrar a nomeação do adversário, indicado pelo PMDB para a vice-presidência de Loterias da Caixa Econômica Federal:

– Nem na eleição nós elaboramos dossiê, imagina se agora iríamos fazer isso!

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.