Nilda propõe criação da Universidade Rural Federal da Paraíba

A criação da Universidade Rural Federal da Paraíba, no município de Areia/PB, foi sugerida ao ministro da Educação, Fernando Haddad, pela deputada federal Nilda Gondim (PMDB-PB). A proposta foi encaminhada por meio da Indicação n° 724/2011, em que a parlamentar solicita a verificação da possibilidade de a criação da URFPB ser efetivada por meio da transformação e infraestrutura do Centro de Ciências Agrárias da Universidade Federal da Paraíba (CCA/UFPB).

Conforme ressaltou Nilda Gondim, a criação da Universidade Rural Federal da Paraíba é uma reivindicação antiga dos estudantes, professores, técnicos e funcionários do Centro de Ciências Agrárias da UFPB, que em abril deste ano completou 75 anos de existência. “Trata-se de uma reivindicação da população do município de Areia e de vários outros municípios do Brejo paraibano, que lutam há muitos anos pela implantação da sua Universidade Federal”, comentou a deputada.

Referência no Estado – Segundo dados apresentados por Nilda Gondim, o Centro de Ciências Agrárias da UFPB surgiu no ano de 1936 como Escola de Agronomia da Paraíba; foi sede do primeiro curso de ensino superior do Estado, através de uma iniciativa do escritor José Américo de Almeida, que era de Areia, e, com a sua expansão pela Paraíba, passou a se chamar Escola de Agronomia do Nordeste, oferecendo, a partir de 1976, o curso de Zootecnia.

“Somente a partir de 2004 foram criados outros cursos de Bacharelado e Licenciatura em Ciências Biológicas e Medicina Veterinária. Ao todo já foram formados 2.738 engenheiros agrônomos, 475 zootecnistas e 29 biólogos. Também foram titulados 139 doutores e 535 mestres”, informou a deputada peemedebista na justificativa da proposta encaminhada ao Ministério da Educação.

“A cidade de Areia e o CCA pretendem contribuir com a expansão de vagas de ingresso no ensino superior para a população mais carente, expressamente com a oferta de vagas no período noturno, em virtude da excelente infraestrutura já existente”, acrescentou.
 

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.