Nilda Gondim defende no MEC apoio à Escola Técnica Redentorista de CG

A imediata disponibilização de apoio financeiro e institucional à Escola Técnica Redentorista (ETER) de Campina Grande foi defendida pela deputada federal Nilda Gondim (PMDB-PB) em recente encontro de integrantes da bancada feminina do Congresso Nacional com o ministro da Educação, Fernando Haddad, que contou com a participação também das deputadas Rosane Ferreira (PV-PR), Janete Pietá (PT-SP), Antônia Lúcia (PSC-AC), Perpétua Almeida (PCdoB-AC), Luciana Santos (PC do B-PE) e Juliana Moraes (PMDB-PI), e das senadoras Ana Rita (PT-ES) e Ângela Portela (PT-RR).

O assunto relacionado à ETER já havia sido tratado pela deputada paraibana em outra reunião com o ministro Haddad, oportunidade em que ele assegurou que iria analisar a viabilidade de apoio e atendimento da proposta via recursos do Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e ao Emprego – iniciativa que está em fase de implantação no País e por meio do qual o governo da presidente Dilma Rousseff pretende intensificar a expansão da educação profissional em todo o País. Através do Pronatec, a meta é oferecer oito milhões de vagas até 2014 para formação de jovens do ensino médio e de trabalhadores que precisam de qualificação.

 Na audiência, o ministro Haddad garantiu que, “após avaliação, e sendo constatado que a ETER atende aos requisitos estabelecidos pelo MEC, o convênio será firmado”, e comprometeu-se perante toda a bancada feminina do Congresso Nacional de manter um time de especialistas nas políticas relacionadas aos pleitos levados ao MEC. Com a responsabilidade de por fim aos entraves na liberação de recursos que normalmente se devem ao encaminhamento ou preenchimento das documentações, por parte das prefeituras, de forma errada, o time de especialistas estará à disposição dos gabinetes dos parlamentares em tempo integral e pronto para avaliar, in loco, os procedimentos dos gabinetes junto às prefeituras.

Importância da ETER – Confiante no atendimento da solicitação de apoio do governo federal à Escola Técnica Redentorista, que tem sede localizada à Avenida Doutor Francisco Pinto, n° 317, no bairro de Bodocongó, em Campina Grande/PB, a deputada federal Nilda Gondim lembrou que a ETER foi criada em 1975 pelo Padre Edelzino de Araújo Pitiá e salientou que, ao longo dos seus quase 36 anos, a instituição vem assumindo a sua missão de oferecer uma educação de qualidade, ética e cidadã aos jovens do compartimento da Borborema e até mesmo de Estados vizinhos.

Contando com a dedicação de uma excelente equipe de professores e funcionários, a ETER é reconhecida como uma das melhores Escolas Técnicas do país, e já formou, até agora, uma média de seis mil alunos nas áreas de Indústria, Telecomunicações, Informática, Segurança do Trabalho, Equipamentos biomédicos, Enfermagem e Logística.

“Sob a direção do Padre Tiago de Melo Correia, a Escola Técnica Redentorista atende hoje a uma demanda aproximada de 800 alunos e procura investir cada vez mais na melhor qualificação de seus corpos funcional e docente e também no aperfeiçoamento dos seus espaços e equipamentos. E para manter a excelente qualidade dos serviços que presta à sociedade, a instituição necessita de todo o apoio institucional e financeiro que possamos conseguir”, ressaltou Nilda Gondim.

Ela acrescentou que, em função da grande demanda e dos parcos recursos de que dispõe, a ETER enfrenta dificuldades e precisa do apoio da sociedade e dos governos, tanto estadual quanto federal, para continuar aperfeiçoando o trabalho por meio do qual já foram oferecidos excelentes profissionais ao mercado de trabalho. Muitos desses ex-alunos redentoristas, inclusive, atuam hoje como empresários ou como executivos em empresas classificadas entre as que mais faturam no País.

ERRATA – Em recente matéria que distribuí com a imprensa tratando deste assunto relacionado à Escola Técnica Redentorista, mencionei (erroneamente) o empenho da deputada federal Nilda Gondim no sentido da “implantação” da referida instituição em Campina Grande, e não na busca por apoio institucional e financeiro, como corretamente trata esta matéria. Na verdade a palavra “implantação” acabou integrando o texto anterior, inclusive o seu título, por conta de confusão motivada pela redação, momentos antes, de outra matéria tratando do apoio da parlamentar paraibana à implantação de um Campus de UFPB na cidade de Guarabira/PB, assunto que também vem sendo tratado em Brasília.

 

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.