Nilda Gondim cobra equipamentos de segurança no Aeroporto

A imediata instalação de equipamentos adequados para as operações de aeronaves no Aeroporto João Suassuna, em Campina Grande/PB, foi defendida pela deputada Nilda Gondim (PMDB-PB) durante pronunciamento na Câmara Federal. Manifestando seu desapontamento frente à situação em que se encontra o aeroporto campinense, que não possui os instrumentos devidos para garantir a segurança das operações ali realizadas, especialmente nos períodos da noite ou de mau tempo, ela lembrou que ainda em 2007 o então deputado federal e hoje senador da República Vital do Rêgo Filho (PMDB-PB) encaminhou solicitação idêntica ao Ministério da Defesa e à Empresa Brasileira de Infra-Estrutura Aeroportuária (Infraero), “mas infelizmente nenhuma ação concreta foi realizada nesse sentido”.

No pleito inicial (do então deputado Vitalzinho), encaminhado através do ofício n°411, de 21 de agosto de 2007, foi solicitada a instalação de instrumentos de auxílio à navegação (VOL e ISL) no Aeroporto João Suassuna. Em resposta à reivindicação, em janeiro de 2008 o então ministro de Estado da Defesa, Nelson Jobim, encaminhou ofício ao gabinete do parlamentar explicando as razões para a não instalação dos equipamentos e informando que a Infraero estaria “especificando um sistema de navegação por rádio, com dispositivo de medição de distância (VOR/DME) para adquirir, no exercício 2008/2009, e instalá-lo no aeroporto em causa”.

Este auxílio, segundo acrescentou Jobim, deveria “proporcionar maior precisão e teto menor do que o hoje (janeiro de 2008) existente para operação com sistema de irradiação de ondas não direcionais (NDB)”. “Conveniente destacar também que para instalar um VOR/DME no aeroporto de Campina Grande outros aspectos devem ser considerados, e que ainda não foram analisados em sua totalidade. Todavia, a rede de alta tensão instalada nas proximidades da cabeceira da pista é um óbice visível, e já indica restrições técnicas para a instalação de auxílios dessa natureza, sinalizando sua remoção para outro local”, ressaltou o ministro.

Acontece, segundo enfatizou Nilda Gondim, que três anos e meio já se passaram desde a resposta do então ministro Nelson Jobim ao então deputado federal Vital do Rêgo Filho e nada foi feito no sentido de proporcionar segurança aos usuários dos serviços oferecidos no Aeroporto João Suassuna, que continua sem os instrumentos adequados para as operações de aeronaves. “A instalação dos equipamentos (VOR e ILS) solicitados por Vitalzinho é importante para resolver os constantes problemas de pouso de aeronaves em período noturno e em condições de mau tempo”, comentou.

Acrescentando que “a falta dos referidos instrumentos tem causado inúmeros transtornos aos passageiros, que são obrigados a desembarcar em Recife/PE quando as condições meteorológicas do aeroporto campinense não possibilitam o pouso de aeronaves”, a deputada federal paraibana afirmou que “quanto mais tempo demorar a omissão da Infraero, mais prejuízos serão causados, não somente ao povo paraibano, mas a todas as pessoas que visitam a Paraíba e precisam utilizar os serviços do Aeroporto João Suassuna”.
 

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.