MST amplia abril vermelho e invade 16 fazendas em dois dias

O MST (Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra) ampliou suas ações na onda nacional de protestos conhecida como "abril vermelho" e anunciou, ontem, ter invadido 16 fazendas em três Estados do Nordeste e bloqueado uma rodovia em Mato Grosso do Sul, em dois dias de manifestações.

Integrantes do movimento também montaram acampamento ontem em frente à Superintendência do Incra (Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária) em Mato Grosso, para reivindicar agilidade e o cumprimento das metas de reforma agrária. Não houve registro de confrontos.

Segundo o MST, as invasões ocorreram em Pernambuco, Paraíba e Alagoas e mobilizaram 1.935 famílias. Em Pernambuco, os sem-terra tomaram 12 propriedades rurais, sendo quatro delas ontem.

Na Paraíba, duas áreas foram invadidas. Cerca de 120 famílias participaram das investidas às fazendas Riachão, em Ibiara, e Mubamba do Rangel, em Santa Rita. Esta última já havia sido tomada outras três vezes desde 2004. Também ontem, 300 sem-terra acamparam na rodovia PB-415.

Em Alagoas, o MST anunciou ter invadido duas fazendas no interior do Estado. A Polícia Militar não tinha informações sobre as ações.

Segundo o movimento, 70 famílias acamparam na fazenda Bastião, às margens do rio São Francisco, em Traipu (no Agreste), na noite de domingo. Ontem, outras 75 famílias tomaram a fazenda Lagoa da Cachoeira, em Piranhas (sertão).

Em Mato Grosso do Sul, cerca de 200 sem-terra bloquearam com paus e pedras o tráfego na BR-163, nas proximidades de Itaquiraí (a 342 km de Campo Grande). O protesto, que provocou um congestionamento de dez quilômetros, começou por volta das 7h e só terminou ao meio-dia.

As manifestações do "abril vermelho" ocorrem todos os anos para lembrar a morte de 19 trabalhadores rurais, ocorrida em 17 de abril de 1996, durante confronto entre lavradores e policiais militares, em Eldorado do Carajás (PA).

Folha Online

TAGS

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.