Notícias de João Pessoa, paraíba, Brasil

MPPB pede projeto de nova estátua de Iemanjá e realocação para o Largo de Tambaú

Facebook
Twitter
WhatsApp
Telegram

O Ministério Público da Paraíba realizou, na última terça-feira (05/12), uma audiência para tratar sobre racismo religioso e o monumento de Iemanjá, que sofreu depredações. Ao final, ficou definido que os movimentos negros vão encaminhar ao MPPB, até a próxima semana, cópia do projeto de construção de nova estátua de Iemanjá e realocação dela para o Largo de Tambaú, que foi elaborado em 2017 e não foi executado, uma vez que o atual projeto que está em tramitação na Prefeitura Municipal de João Pessoa não atende às reivindicações dos movimentos.

A audiência foi conduzida pela 46ª promotora de Justiça de João Pessoa, Fabiana Lobo, e teve a participação da secretária da Mulher e da Diversidade Humana, Lídia Moura; representantes da Secretaria de Planejamento de João Pessoa (Seplan), da Procuradoria do Município, do Fórum de Diversidade Religiosa, do Movimento de Mulheres Negras na Paraíba (MMN/PB), do Conselho Estadual de Promoção da Igualdade Racial da Paraíba (Cepir/PB), da ONG CCIAO, do Movimento Negro Evangélico,  do Centro de Minorias de João Pessoa; pesquisadores da UFPB e representações religiosas de matriz africana.

A promotora Fabiana Lobo esclareceu o objetivo da audiência, do racismo religioso e da estátua de Iemanjá, que desde a sua construção sofre com atos de vilipêndio. Também afirmou que a Promotoria recebeu reivindicação de representação de Comunidades de Terreiro no sentido de que fosse cumprido projeto elaborado, mas ainda não executado, em gestão municipal anterior.

Ainda de acordo com a promotora, nesse projeto, conforme o informado, haveria a construção de nova estátua e relocação dela para o Largo de Tambaú, uma vez que, conforme as representações religiosas, se a estátua permanecer no mesmo local seria facilmente vilipendiada por atos de racismo religioso.

A representante da Seplan afirmou que realizou busca, mas nada encontrou na Prefeitura sobre o novo projeto e que há processo administrativo em vias de licitação para reforma da Praça de Iemanjá, aguardando a Superintendência do Patrimônio da União (SPU). Também sugeriu que uma comissão procurasse a Seplan para abertura de processo administrativo com o presente pleito.

Ficou definido que, nesta quinta-feira (7), uma comissão de representantes religiosos irá à Seplan para abertura de processo administrativo com as reivindicações trazidas na audiência sobre a construção da nova estátua de Iemanjá e sua realocação para o Largo de Tambaú.

Interlocução

A secretária Lídia Moura relatou que o projeto foi concluído em 2017, mas não foi executado. Ela também detalhou que haveria rampa de acesso ao mar e que a nova estátua seria feito com projeto sustentável (materiais recicláveis em alumínio, com tampa de latinhas. Pontuou que toda cidade litorânea possui estátua de Iemanjá e recordou que o uso do solo é prerrogativa do poder municipal.

Os representantes dos movimentos negros e das religiões de matriz africana registraram a necessidade de reparação histórica e de respeito ao povo negro. Foi informado que Historiou que, em 1966, o governador João Agripino assinou a autorização para a prática de cultos de matrizes africanos na Paraíba, e que, em novembro daquele ano, a Federação Espírita Paraibana presenteou as religiões de matrizes africanas com a estátua de Iemanjá e que foi escolhida a data de 08 de dezembro para as festas na orla da Capital Paraibana. Também foi relatado um histórico de depredações que a estátua sofreu ao longo do tempo e que ela representa não apenas a religiosidade afro, mas sim a luta contra o racismo social.. Eles afirmaram ainda que não tem sentido manter a imagem no local atual, pois é ermo.

Também foi destacado que todos devem trabalhar e estudar o Estatuto da Igualdade Racial, Lei 12.288/10 e que no último dia 28 de novembro foi aprovada a criação do Conselho Municipal de Igualdade Racial. Ainda foi relatado que existe o mapeamento dos terreiros da região metropolitana, mas o intuito é que os gestores saibam onde estão para garantir as políticas públicas e que é preciso garantir que o povo negro entre nos espaços públicos.

Tags

Leia tudo sobre o tema e siga

MAIS LIDAS

Arthur Urso leva “esposas” para passear sem roupa íntima na orla de João Pessoa

Professores da UFPB desistem de candidatura e apoiam Terezinha e Mônica

Anteriores

UFPBemdia15.12.2022FotoAnglicaGouveia5de23-800x500 (1)

Superintendente do HULW, Marcelo Tissiani divulga apoio à reeleição de Valdiney Gouveia

Polícia Civil e Militar

Ex-suplente de vereador é assassinado na zona rural de Matinhas

agentesemob (1)

Maratona de João Pessoa altera trânsito em vários pontos na manhã deste domingo

enterrotiopaulo (1)

Após dois dias no IML, “Tio Paulo” é enterrado sob forte comoção de parentes

mercadodefagundes

Teto do Mercado de Lucena desaba depois das chuvas deste sábado

terezinhaemonica (1)

DCE declara apoio à candidatura de Terezinha e Mônica para eleições na UFPB

prefeito-edmilson-rodrigues-belem-filho

Filho do prefeito de Belém do Pará morre aos 16 anos

Homem é preso na PB ao receber 20kg de maconha, do Paraná, em caixas de chá

Homem é preso na PB ao receber 20kg de maconha, do Paraná, em caixas de chá

Polícia da PB prende, no Pará, dupla que furtou 50 celulares de shopping em Campina Grande

Polícia da PB prende, no Pará, dupla que furtou 50 celulares de shopping em Campina Grande

Trens, CBTU JP

Trens voltam a fazer trajeto completo entre Cabedelo e Santa Rita após obras em ponte