MPPB investiga morte de idoso no Hospital São Vicente de Paulo

O Ministério Público da Paraíba (MPPB) vai investigar as circunstâncias que levaram à morte de um paciente idoso no Hospital São Vicente de Paulo e a denúncia de que a unidade hospitalar está prestando um mau atendimento aos pacientes, sobretudo idosos.
 
A Promotoria de Justiça de Defesa do Cidadão de João Pessoa já requereu à direção do hospital a ficha de internação e cópia da declaração de óbito do paciente Cláudio Roberval, que morreu na quinta-feira (14), aos 72 anos.
 
De acordo com uma denúncia feita por telefone à promotoria, o idoso estava há três dias no hospital sem atendimento médico e, devido à gravidade do problema, foi conduzido ao Centro de Terapia Intensiva (CTI). “O paciente apresentava um quadro de insuficiência renal crônica e de acordo com a denúncia fora entubado, e ao chegar no hospital tivemos a informação que o mesmo havia falecido”, relatou a promotora de Justiça Sônia Maria de Paula Maia.
 
Após receber o telefonema, a representante do Ministério Público estadual foi até o Hospital São Vicente de Paulo para verificar a situação do idoso. Chegando lá, ela foi impedida de entrar no serviço de saúde. “Ao chegar no hospital, fui impedida de realizar meu trabalho, em ato de abuso de poder, pela médica Carmem Lúcia, responsável pela direção e apoio logístico do hospital. Um funcionário, que se negou a informar seu nome, disse que recebia ordens superiores para não permitir a entrada de representante do Ministério Público naquele hospital”, disse a promotora.
 
Mesmo apresentando documentação comprovatória, a promotora só conseguiu entrar no hospital sob escolta de policiais militares, quando constatou que o paciente Cláudio Roberval já havia falecido. “A providência chegou tarde demais”, disse a promotora que em rápida inspeção à ala de emergência detectou outras intercorrências.
 
No interior do hospital, a representante do Ministério Público estadual constatou problemas no atendimento oferecido a outros idosos que lá estavam. Um deles, de 76 anos e proveniente do município de Caiçara, estava há dois dias aguardando internamento, sem receber medicação; outro de 69 anos com problemas vasculares e diabetes aguardando desde cedo atendimento.
 
A promotoria também requereu à direção do São Vicente de Paulo as fichas de internamento e informações sobre o estado de saúde dos outros pacientes idosos que se encontravam no hospital, além de informações sobre a escala de serviço dos porteiros e funcionários do setor de emergência e acolhimento, que estavam trabalhando no dia 14 de agosto com suas respectivas funções.
 
Se a direção do hospital não apresentar as informações requisitadas no prazo de três dias, a promotoria vai encaminhar as denúncias a Delegacia do Idoso.
 
O Ministério Público da Paraíba (MPPB) vai investigar as circunstâncias que levaram à morte de um paciente idoso no Hospital São Vicente de Paulo e a denúncia de que a unidade hospitalar está prestando um mau atendimento aos pacientes, sobretudo idosos.
 
A Promotoria de Justiça de Defesa do Cidadão de João Pessoa já requereu à direção do hospital a ficha de internação e cópia da declaração de óbito do paciente Cláudio Roberval, que morreu na quinta-feira (14), aos 72 anos.
 
De acordo com uma denúncia feita por telefone à promotoria, o idoso estava há três dias no hospital sem atendimento médico e, devido à gravidade do problema, foi conduzido ao Centro de Terapia Intensiva (CTI). “O paciente apresentava um quadro de insuficiência renal crônica e de acordo com a denúncia fora entubado, e ao chegar no hospital tivemos a informação que o mesmo havia falecido”, relatou a promotora de Justiça Sônia Maria de Paula Maia.
 
Após receber o telefonema, a representante do Ministério Público estadual foi até o Hospital São Vicente de Paulo para verificar a situação do idoso. Chegando lá, ela foi impedida de entrar no serviço de saúde. “Ao chegar no hospital, fui impedida de realizar meu trabalho, em ato de abuso de poder, pela médica Carmem Lúcia, responsável pela direção e apoio logístico do hospital. Um funcionário, que se negou a informar seu nome, disse que recebia ordens superiores para não permitir a entrada de representante do Ministério Público naquele hospital”, disse a promotora.
 
Mesmo apresentando documentação comprovatória, a promotora só conseguiu entrar no hospital sob escolta de policiais militares, quando constatou que o paciente Cláudio Roberval já havia falecido. “A providência chegou tarde demais”, disse a promotora que em rápida inspeção à ala de emergência detectou outras intercorrências.
 
No interior do hospital, a representante do Ministério Público estadual constatou problemas no atendimento oferecido a outros idosos que lá estavam. Um deles, de 76 anos e proveniente do município de Caiçara, estava há dois dias aguardando internamento, sem receber medicação; outro de 69 anos com problemas vasculares e diabetes aguardando desde cedo atendimento.
 
A promotoria também requereu à direção do São Vicente de Paulo as fichas de internamento e informações sobre o estado de saúde dos outros pacientes idosos que se encontravam no hospital, além de informações sobre a escala de serviço dos porteiros e funcionários do setor de emergência e acolhimento, que estavam trabalhando no dia 14 de agosto com suas respectivas funções.
 
Se a direção do hospital não apresentar as informações requisitadas no prazo de três dias, a promotoria vai encaminhar as denúncias a Delegacia do Idoso.

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.