Notícias de João Pessoa, paraíba, Brasil

MPF aponta estadualização como solução para problemas nas escolas indígenas

Facebook
Twitter
WhatsApp
Telegram

O procurador regional dos Direitos do Cidadão Duciran Van Marsen Farena reuniu-se hoje (21) com representantes da Fundação Nacional do Índio na Paraíba (Funai), Secretaria de Estado da Educação e Cultura da Paraíba (Seec) e das aldeias Vau e Jaraguá para discutir questões ligadas à educação indígena no Estado.

Na reunião foram abordados o cumprimento pelo Estado do Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) da Educação Indígena, celebrado em 30 de abril de 2004, cumprimento do compromisso assumido pelo Estado, em 2009, quanto à estadualização da escola da Aldeia Val, falta de merenda escolar, regulamentação da carreira de magistério indígena e mudança na direção das escolas.

Segundo o procurador Duciran Farena, a situação das escolas indígenas, em relação ao apurado na inspeção realizada nas escolas no dia 4 de agosto de 2009, continua inalterada. Continuam os conflitos entre indígenas e gestores municipais quanto à escolha da direção das escolas, falta de merenda, e precariedade de instalações. A interferência da política municipal, segundo afirmou, é a principal causa dos conflitos verificados na área e que hoje prejudicam a educação indígena. “A solução seria a transferência da responsabilidade pela educação indígena para o estado da Paraíba. Esta providência seria a mais lógica e racional, na medida em que a Terra Potiguara envolve vários municípios, não sendo recomendável que cada um deles tenha sua política de educação indígena própria”.

O procurador também afirmou que a estadualização prevista no TAC não avançou por resistências da própria comunidade indígena. No entanto, sempre que há problemas com os gestores municipais, ressurge o pleito com relação a escolas específicas.

Para Duciran Farena, hoje a educação indígena prestada pelos municípios na Terra Potiguara é de péssima qualidade e pouco se distingue, em conteúdo e estrutura, da educação convencional. Nenhum município tem carreira de magistério indígena nem concurso. As nomeações são realizadas sem critérios objetivos pelos gestores. “Atualmente há interferência política na escolha de diretores e contratação de professores e isto é antididático. As direções e nomeações de professores não devem ser privativas de ninguém, nem do prefeito, nem do cacique. A terra indígena é de propriedade da União e não se limita a um território. Os problemas não terão solução se não houver a estadualização”, argumentou.

Com relação à carreira de magistério indígena, o procurador ressaltou que, antes de estadualizar, é preciso que o governo da Paraíba institua  a carreira de magistério indígena ( que também não existe no plano estadual) e o respectivo concurso, mandando o projeto de lei para a Assembleia Legislativa e empenhando-se na sua aprovação.

Encaminhamentos – Na reunião o Estado se comprometeu a repassar, em 30 dias, recursos para a compra da merenda escolar para o Conselho Escolar da Escola da Aldeia Val, no município de Marcação(PB), recentemente estadualizada. Enquanto não for implementado o repasse, o Estado fornecerá os gêneros alimentícios necessários para a preparação da merenda.

Também ficou definido que o Estado buscará a transferência dos recursos do Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE) relativos aos alunos da escola estadualizada do município de Marcação. Na impossibilidade de um acordo com a prefeitura, que hoje recebe as verbas do PNAE destinadas à escola, caberá ao Estado comunicar o fato ao Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) para as providências de transferência ou bloqueio dos recursos, evitando a continuidade indevida de repasse ao município.

O Estado ainda se comprometeu a apresentar, em 30 dias, o cardápio das escolas indígenas bem como documentos relativos à aquisição de gêneros (processo licitatório, notas fiscais de aquisição de gêneros, aceites) da merenda escolar nas escolas Akajutibiró, Cacique Iniguaçu e Pedro Poti, relativos aos meses de fevereiro a maio de 2010.

A Funai se comprometeu a atualizar os dados de relatório sobre a educação indígena, solicitando do conselho escolar de cada escola resposta a questionário elaborado pelo Ministério Público Federal. Os questionários respondidos, acompanhados de relatório, deverão ser entregues ao Ministério Público em 30 dias.

Além disso a Funai acompanhará a realização de eleição na comunidade da Aldeia Jaraguá para escolha da nova direção da Escola Cacique Domingos e até que a nova diretoria escolhida seja indicada pela Secretaria de Educação, permanecerá a antiga direção.

Já o Ministério Público Federal encaminhará à Secretaria Estadual de Educação subsídios para a instituição da carreira e concurso do magistério indígena na Paraíba.

Ao final da reunião, o procurador Duciran Farena esclareceu que a Funai tem prerrogativa para circular, independentemente de autorização, em qualquer lugar do território indígena e apurar a qualidade dos serviços de educação, não procedendo certas exigências impostas por municípios, quando da realização do último relatório sobre a educação indígena.  “Se algum agente municipal exigir “passe” da Funai ou se recusar a prestar informações, será chamado pelo Ministério Público para prestar explicações”, alertou.
   
   
 

Tags

Leia tudo sobre o tema e siga

MAIS LIDAS

Exaustão, sobrecarga… por que não reconhecemos os nossos limites?

Presidente do PT é acusado de cometer etarismo contra Luiz Couto

Incidente no Restaurante Garden: entenda o que realmente aconteceu

Anteriores

joaobelga

Paraíba terá Centro de Distribuição e fábrica de esquadrias de PVC de empresa da Bélgica

Artêmio Picanço, advogado

Advogado considera “surreal” decisão da Justiça da Argentina pela prisão domiciliar de Antônio Neto; veja

Igreja Matriz de Monteiro

Polícia procura mulher suspeita de furtar dinheiro de ofertas da Igreja Matriz, de Monteiro

PF Operação Rescue

Operação da PF prende homem por armazenar imagens de abuso sexual de crianças

Concurso, freepik 1

MP recomenda retificação de edital do concurso para Guarda Civil de Santa Rita

PF operação Pombo, Objetos encontrados em casa de funcionários dos correios

PF investiga desvio de encomendas dos Correios e apreende objetos em casa de servidor

João Pessoa linda demais, secom pb

João Pessoa é destaque entre os Top 10 Destinos de Viagem para o mês de julho

Fábio Andrade, procurador-geral do Estado

Estado aprova lista de acordos diretos de precatórios com 593 propostas e R$ 78 milhões

Sérgio Moro 22

Por unanimidade, TSE rejeita cassação do mandato de Sergio Moro

Perilo Lucena, juiz

Ação alerta contra abuso e exploração sexual infantil nos festejos juninos de CG