MP e CNJ se unem para implementar projeto “Começar de Novo”

O juiz coordenador do mutirão carcerário na Paraíba, Paulo Augusto Oliveira Irion, esteve no final da manhã de hoje, no gabinete do procurador-geral de Justiça, Oswaldo Trigueiro do Valle Filho, para pedir a parceria do Ministério Público do Estado no projeto “Começar de Novo”.

 Segundo Paulo Augusto, o projeto “Começar de Novo” visa garantir o apoio de entidades públicas e da iniciativa privada à ressocialização dos apenados, através de cursos de educação básica e profissionalizante que são ministrados durante o cumprimento da pena. “Buscamos fazer com que os presos tenham a possibilidade de sair do sistema em condições de exercer uma profissão lícita e trazer a ele e a seus familiares uma vida mais digna”, explicou o integrante do Conselho Nacional de Justiça (CNJ).

Para o promotor de Justiça que coordenou os trabalhos do Ministério Público no mutirão carcerário, José Leonardo Clementino Pinto, é muito importante que a instituição ministerial participe do projeto. “Sabemos que o grande problema desses apenados ocorre quando eles saem dos presídios em regimes semiaberto, aberto ou de livramento condicional, ou quando cumprem a pena e têm dificuldades de se reintegrar à sociedade e de conseguir uma ocupação lícita. Esse projeto visa desmistificar a ideia de que o ex-presidiário não é um bom empregado”, ressaltou.

Também participaram da reunião os promotores de Justiça Leonardo Pereira e Renata Carvalho.

Reunião – Para concretizar o projeto “Começar de Novo” no sistema prisional da Paraíba, a administração do Ministério Público Estadual convidou representantes do Sesc, Sesi, Senac e Fiep para uma reunião que acontecerá, às 16h, na próxima segunda-feira (31), na sede da Procuradoria-Geral de Justiça, em João Pessoa.

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.