MP denuncia quatro por morte de servidora do TRT

O Ministério Público da Paraíba denunciou quatro pessoas acusadas de participação na tentativa de assalto que resultou na morte da servidora do Tribunal Regional do Trabalho (TRT-PB), Tânia Mara de Almeida Queiroz, de 51 anos, no último dia 21 de outubro. De acordo com promotor de Justiça José Leonardo Clementino Pinto, foram denunciados Washington Costa Nóbrega, Nivaldo José Meireles de Brito, conhecido como “Rato”, Ricardo Marinho Pereira e Thiago Lacerda Alves.

Segundo o documento da denúncia, os três primeiros acusados foram denunciados por latrocínio, que é roubo seguido de morte, com base no art. 157 do Código Penal, e podem pegar pena que varia 20 a 30 anos de reclusão. Já Thiago Lacerda Alves foi denunciado por porte ilegal de arma de fogo, com base no art. 14 do Estatuto do Desarmamento, e também por auxiliar Washington Nóbrega a simular um seqüestro com o objetivo de despistar a polícia, o que configura subtrair-se à ação de autoridade pública autor de crime, segundo o art. 348 do Código Penal, com pena de 1 a 6 meses de detenção.

O documento da denúncia pede ainda que a prisão em flagrante de Washington Nóbrega, Ricardo Marinho e Thiago Lacerda seja convertida em prisão preventiva e que seja decretada a prisão preventiva de Nivaldo Meireles, que está foragido.

O crime – No dia 21 de outubro, por volta das 21h, no estacionamento do Supermercado Pão de Açúcar, na Capital, Tânia Mara de Almeida Queiroz foi vítima de latrocínio praticado pelos três primeiros acusados e com a participação de um adolescente. Eles fugiram num veículo Fiat Pálio de cor cinza e placa MND-0216-PB, de propriedade da mãe de Washington Nóbrega.

Segundo a denúncia, Nivaldo Meireles foi o mentor intelectual do crime e convidou os demais e o adolescente a participar com a promessa de recompensa. Inicialmente, eles haviam se dirigido ao Carrefour e Hiper Bompreço, mas não encontraram as condições ideais de realizar o assalto. Então, foram ao estacionamento do Pão de Açúcar, onde o adolescente foi destacado para realizar o assalto e recebeu a arma das mãos de Nivaldo Meireles. Com a reação da vítima, o adolescente assustou-se e acabou por matá-la com um disparo.

Washington Nóbrega ainda tentou esquivar-se da polícia, simulando o próprio sequestro, tendo abandonado o veículo nas proximidades do Carrefour, no bairro dos Bancários, e reaparecido no Distrito Industrial, de onde seguiu para uma delegacia para registrar o falso sequestro. Thiago Lacerda recebeu a arma das mãos de Ricardo Marinho e auxiliou Washington a simular o seqüestro. A trama foi desmascarada pelas investigações policiais e Washington acabou por confessar o crime e delatar os demais participantes, dos quais somente Nivaldo Meireles continua foragido.

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.