Movimentos sociais deixam prédio da UFPB e denunciam “agressão do reitor”

A Associação Paraibana dos Amigos da Natureza (Apan) e outras entidades desocuparam o prédio da Universidade Federal da Paraíba, o qual ocupavam de forma regular na Praça Rio Branco, no Centro de João Pessoa. O reitor da UFPB, Valdiney Gouveia, ordenou a remoção dos objetos das associações do prédio da universidade e, segundo Paula Frassinete, presidente da Apan, a ordem foi de que eles saíssem até 30 de junho.

“Uma agressão. Primeiro ele (o reitor) mandou fechar o prédio, retirar todas as chaves. Não podíamos mais entrar. Tudo ficou trancado lá por alguns meses. Nesta semana ele deu o ultimato: se não saísse até o dia 30 o material seria levado para depósitos”, explicou Paula Frassinete.

A presidente da Apan disse que não se admite que um grupo que tem história seja tratado dessa forma. Destacou a luta social dos movimentos que foram despejados do prédio da UFPB, o qual ocupavam com autorização que havia sido dada pela reitora Margareth Diniz, quando o imóvel ainda estava vazio. Estavam instalados nos prédios da universidade o movimento negro, movimento LGBT, o MEL, Associação de Juristas pela Democracia e outros grupos. “Gente séria, que faz movimento social sério”, enfatizou Paula Frassinete.

Segundo a presidente da Apan, as entidades tiveram que retirar arquivos, livros, estantes e outros bens que guardavam no prédio. Ela lembrou que são entidades sem fins lucrativos que não recebem dinheiro de empresários ou de nenhuma autoridade e pontuou que a luta continuará. “Vamos continuar nosso trabalho. Se eles pensam que, com isso, vamos parar nosso trabalho, estão enganados.”

A Associação Paraibana dos Amigos da Natureza conseguiu se instalar na casa de uma amiga do grupo. “Conseguimos de uma amiga, uma casa em Jaguaribe.” Outras entidades estão dando um jeito de se realocar.

Saiba mais

Valdiney Gouveia manda desocupar prédio da UFPB no Centro e despeja várias entidades

O imóvel abrigava, atualmente, 17 entidades civis sem fins lucrativos, que fazem trabalhos sociais. Entre elas estão a Associação Paraibana dos Amigos da Natureza (Apan), Luta por Moradia, Associação Brasileira de Juristas pela Democracia(ABJD) e a Cooperativa Roda de Conversa.

Essa não foi a primeira requisição de prédios feita pela atual reitoria da UFPB. Recentemente, Valdiney deu 45 dias de prazo para que a Associação dos Docentes da UFPB (Aduf) e o Sindicato dos Trabalhadores em Ensino Superior paguem aluguéis atrasados dos imóveis onde estão instalados ou que os desocupem. O reitor afirma que as medidas são para cumprir a legislação vigente.

 

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.