Notícias de João Pessoa, paraíba, Brasil

Movimento contra armas é só o começo, diz sobrevivente de ataque na Flórida

Facebook
Twitter
WhatsApp
Telegram

Face mais visível dos estudantes que pedem o controle de armas nos EUA, Emma González disse neste domingo que a ‘Marcha por Nossas Vidas’ é apenas o começo do movimento. Nos próximos meses, os jovens pretendem se dedicar à mobilização de eleitores para derrotar nas urnas candidatos que não se alinhem com suas propostas. Em novembro, os americanos votarão para renovar a Câmara dos Deputados, parte do Senado e vários governo estaduais

No sábado, Emma realizou o discurso de maior impacto durante a marcha que reuniu centenas de milhares de pessoas em Washington e em 800 cidades nos Estados Unidos e ao redor do mundo. Depois de falar por quase dois minutos, ela ficou em silêncio por quatro minutos e 26 segundos, olhando para a multidão enquanto lágrimas escorriam por seu rosto.

Emma voltou a falar seis minutos e 20 segundos depois de ter subido ao palco, exatamente o mesmo tempo que o atirador Nikolas Cruz usou para matar 17 alunos e professores de sua escola em Parkland, na Flórida.

“Nós não temos apoio apenas em todo o país. Nós temos apoio ao redor do mundo”, disse a filha de imigrantes cubanos em entrevista à rede de TV CBS. Os estudantes da Flórida conseguiram mobilizar diferentes grupos da sociedade americana em defesa de leis mais rigorosas sobre armas. As marchas realizadas sábado atraíram jovens, mas também adultos, sobreviventes de outros massacres, negros que protestam contra violência policial e até donos de armas que são a favor da proibição de venda de fuzis semi-autormáticos como o AR-15.

Pesquisa divulgada neste domingo pela conservadora Fox News mostrou que apenas 37% dos entrevistados apoiam a proposta do presidente Donald Trump de armar professores para reagir contra eventuais ataques. A medida é condenada por 57%. A rejeição à ideia ficou evidente na marcha de sábado quando o estudante Ryan Deitsch disse em seu discurso “nós precisamos armar nossos professores”.

Muitos no público se mostraram incrédulos e começaram a vaiá-lo quando Ryan emendou “nós precisamos armar os professores com canetas, lápis, papel e o dinheiro que eles precisam para se sustentar e sustentar suas famílias”.

O levantamento da Fox também revelou que a proibição da venda de fuzis semiautomáticos recebeu apoio de 60% dos entrevistados.

Jornal do Brasil

Tags

Leia tudo sobre o tema e siga

MAIS LIDAS

Exaustão, sobrecarga… por que não reconhecemos os nossos limites?

‘Festa da Adoção’ tenta aproximar crianças e adolescentes de pessoas aptas a adotar

Anteriores

Karla Pimentel

Prefeita de Conde homologa concurso público

lucassegfuranca

São João de Campina Grande tem monitoramento por drones, ‘supercâmera’ e identificação facial

joao-pessoa-trem-cbtu-cabedelo-santa-rita-divulgacao

Trens urbanos param no feriado de Corpus Christi

WhatsApp Image 2024-05-29 at 17.24.13

Prêmio APCA homenageia Cláudia Carvalho, editora do Parlamento PB

Pesquisa-oculos-2

Procon-JP registra variação de mais de 71% no preço de óculos de sol em nova pesquisa

Comercio-Foto-Divulgacao-Secom-PB-2

Saiba o que abre e fecha em João Pessoa no feriado de Corpus Christi

noname

Campanha Eleitoral: advogado fala sobre uso de Inteligência Artificial e pedido de votos

IMAGEM_NOTA_CIDADA_MAIO_2024_1_OK

Nota Cidadã divulga os ganhadores do mês de maio

WhatsApp-Image-2024-01-19-at-10.42.22

Linhas de ônibus funcionarão nesta quinta e sexta, dias 30 e 31, com frota dos dias de sábado

Médicos Processo seletivo emergencial

Juíza condena Prefeitura de Bayeux a indenizar médica inocentada pelo CRM