Morre o companheiro de Che Guevara nas viagens de motocicleta pela América Latina

Brasília – Alberto Granado, o acompanhante de Ernesto Che Guevara nas viagens que inspiraram o filme Diários de Motocicleta, em 2004, morreu ontem (5) em Cuba, aos 88 anos. Juntos, Granado e Che fizeram o passeio que se tornou famoso e motivou o livro e o filme. 

 
Por oito meses, a dupla viajou pela América Latina, em 1951. Na época, os dois estudantes de medicina conheceram a pobreza e a injustiça social do continente, o que despertou convicções revolucionárias em Che.
 
Depois de ajudar Fidel Castro a depor o ditador cubano Fulgêncio Batista em 1959, Che convidou Granado para morar em Cuba. Ali, Granado passou a lecionar bioquímica na Universidade de Havana. Segundo informações da imprensa cubana, Granado morreu de causas naturais, em Havana, e o corpo será cremado.
 
As cinzas de Granado serão espalhadas em três países: na Argentina, onde ele nasceu; em Cuba, onde viveu; e na Venezuela, país que amava. As informações são da imprensa estatal cubana. Granado e Che se tornaram amigos na infância.
 
O filme Diários de Motocicleta, de Walter Salles, foi produzido a partir do diário mantido pelos dois amigos durante sua viagem, a maior parte dela feita na garupa da moto que eles chamavam de La Poderosa.
 
No filme, Granado foi interpretado pelo argentino Rodrigo de la Serna, e Che, pelo mexicano Gael García Bernal. Che Guevara foi morto na Bolívia, em 1967, enquanto tentava liderar uma revolução no país.
 
 

Da Agência Brasil com a BBC Brasil
 

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.