Notícias de João Pessoa, paraíba, Brasil

Moro pede demissão, se queixa de interferência e vai procurar emprego; veja

Facebook
Twitter
WhatsApp
Telegram

O ministro da Justiça, Sergio Moro, pediu demissão e anunciou formalmente sua saída do governo de Jair Bolsonaro durante um pronunciamento feito no fim da manhã de hoje. O motivo da crise entre ele e o presidente foi a exoneração do diretor geral da Polícia Federal, Maurício Valeixo, indicado por Moro para o cargo. Em seu pronunciamento, Moro afirmou que teria recebido a promessa de ter carta branca na condução do ministério, o que não se concretizou. E garantiu ter se queixado de interferência política ao próprio Bolsonaro no episódio da exoneração de Valeixo.

“Eu disse a ele que a exoneração seria uma questão política. E ele disse: ‘É mesmo'”.

Trechos importantes do pronunciamento:

— O presidente queria uma pessoa que ele pudesse ligar, que ele pudesse colher informações de inteligência, e realmente não é o papel da Polícia Federal prestar essas informações, disse Moro.

— O presidente também informou que tinha preocupação com inquéritos em curso no Supremo Tribunal Federal e que a troca seria oportuna nesse sentido. Também nao é uma razão que justifique, pelo contrário até gera preocupação.

— Foi me prometido na ocasião carta branca para nomear todos os assessores, inclusive o superintendente da Polícia Federal – disse, lembrando do convite feito por Bolsonaro.

— No final de 2018 eu recebi convite do entao eleito presidente Jair Bolsonaro, isso eu já falei diversas vezes, e fui convidado a ser ministro da Justiça e da Segurança Publica. O que foi conversado com o presidente foi que teriamos compromisso com o combate à corrupção e à criminalidade. Foi me prometido na ocasião carta branca para nomear todos os assessores, inclusive o superintendente da Polícia Federal — afirmou Moro.

Moro chegou a afirmar que, na gestão anterior do governo federal durante a gestão petista, foi garantida a autonomia aos trabalhos da PF e que isso permitiu o avanço da Lava-Jato.

— É certo que o governo da época tinha inúmeros defeitos, aqueles crimes gigantescos de corrupcao, mas foi fundamental a autonomia da PF para que fosse realizado esse trabalho. Seja de bom grado, seja pela pressão da sociedade — disse.

O ministro afirmou que não estabeleceu como condição ao cargo uma indicação ao cargo de ministro do Supremo Tribunal Federal, mas disse que pediu a Bolsonaro que fosse garantida uma pensão à sua família caso ele ficasse sem emprego posteriormente.

— Tinha uma única condição que eu coloquei. Eu disse que como estava abandonando 22 anos da magistratura, contribuí por 22 anos à previdência, perdia ao sair da magistratura essa previdência, pedi apenas que se algo me acontecesse, pedi que a minha família não ficasse desamparada sem uma pensão. Foi a única condição que eu coloquei — afirmou.

— Busquei ao maximo evitar que isso acontecesse mas foi inevitável. Não foi por minha opção – disse no início da fala.

Irritado com a exoneração de Valeixo, Moro fez o pronunciamento no final da manhã desta sexta e anunciou sua saída do cargo.

Sobre seu futuro, o ex-ministro e ex-juiz disse que vai inicialmente descansar e depois, procurar emprego, já que abriu mão de 22 anos de magistratura para assumir o cargo no governo de Jair Bolsonaro.

 

com O Globo

Tags

Leia tudo sobre o tema e siga

MAIS LIDAS

Exaustão, sobrecarga… por que não reconhecemos os nossos limites?

Presidente do PT é acusado de cometer etarismo contra Luiz Couto

Incidente no Restaurante Garden: entenda o que realmente aconteceu

Anteriores

forumcabeelo (1)

Segundo réu pronunciado pelo homicídio do lutador de MMA é julgado em Cabedelo

joaoalemanha

João Azevêdo abre Fórum de Internacionalização Paraíba-Alemanha e destaca investimentos em pesquisa

Cida Ramos, deputada

Cida Ramos acredita em candidatura própria do PT e diz que está confiante

Adolescente mata os pais e a irmã

Adolescente mata os pais e a irmã em SP por ficar sem computador e celular

Barreira do Castelo Branco

Obras na barreira do Castelo Branco começam hoje e trecho da BR-230 será interditado

Luciano Cartaxo 3

Luciano Cartaxo melhora, mas segue internado em João Pessoa

Ebrahim Raisi

Presidente do Irã morre aos 63 anos em queda de helicóptero

Luciano Cartaxo e Cida Ramos

Executiva Nacional do PT adia mais uma vez decisão sobre eleições em João Pessoa

UFPB-entrada-683x388

Começam hoje inscrições para concurso da UFPB com 21 vagas e salário de até R$ 11 mil

Padre Egídio preso

Justiça realiza hoje primeira audiência de instrução de Padre Egídio e ex-diretoras do Hospital Padre Zé