Ministério Público da Paraíba vai investigar grampo da Assembleia

O Ministério Público da Paraíba vai investigar quem foi o autor do grampo telefônico no Gabinete do presidente da Assembeia Legislativa da Paraíba, Ricardo Marcelo. O deputado esteve no final da tarde de hoje na Procuradoria Geral de Justiça e entregou uma representação ao procurador-geral, Oswaldo Trigueiro do Valle Filho, solicitando a investigação e apresentando o laudo da Polícia Federal, que detectou o grampo.

Oswaldo Trigueiro deu um despacho na representação designando o Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado (Gaeco),  o serviço de inteligência do MPPB, para proceder as investigações.

“Essa investigação ficará na autonomia do Gaeco que terá essa plena abertura de trabalho. Pessoas serão ouvidas, requerimentos serão feitos, enfim, uma série de levantamentos que tenham a ver com esse tipo de procedimento. Doutor Octávio Paulo Neto e sua equipe irão trabalhar para elucidar esse fato, um atentado contra o estado democrático de direito”, declarou o procurador-geral de Justiça.

Ao entregar o documento, Ricardo Marcelo disse que o caminho a percorrer seria exatamente o de  transferir para o Ministério Público as investigações necessárias, já que é uma instituição que dispõe de meios para que isso venha a acontecer num espaço curto de tempo. “Nós temos absoluta certeza que vamos chegar a uma conclusão e que a mesma será dada pelo Ministério Público porque temos plena confiança no trabalho e na integridade do órgão”, declarou o presidente da Assembleia.

Ele admitiu que praticamente não existe esquema eficiente de segurança na Assembléia Legislativa e disse que a Casa de Epitácio Pessoa começou a trabalhar na direção de procurar uma empresa especializada em segurança, de forma a dar a proteção necessária aos deputados e demais pessoas que por lá transitam.

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.