Ministério assegura canal aberto e sinal digital para Assembléia

No ano que vem, todas as Assembléias Legislativas do país terão à disposição um canal aberto e com tecnologia digital. Um dos primeiros projetos a ser aprovados pelo Ministério das Comunicações em 2010 será o da Assembléia da Paraíba. As informações foram repassadas ao presidente da ALPB, deputado estadual Arthur Cunha Lima (PSDB), pelo secretário executivo do Ministério, Fernando Lopes de Oliveira, durante audiência em seu gabinete em Brasília (DF).

Além do secretário executivo, estava presente à audiência o assessor parlamentar do Ministério, José Vicente. Ele revelou que em 2012 todo o território brasileiro estará coberto com o sinal digital de TV e que, quatro anos depois, o sinal analógico será desligado definitivamente.

O secretário executivo informou que o ministro Hélio Costa, que está fora do país, já havia lhe assegurado que os estudos sobre a TV Assembléia da Paraíba estavam dentro das prioridades. “É possível que todas as Assembléias Legislativas do país disponham de canais abertos de televisão no ano que vem”, disse.

Arthur, acompanhado do senador Cícero Lucena e do primeiro secretário da Assembléia, deputado estadual Lindolfo Pires (DEM), esteve no Ministério das Comunicações nesta quinta-feira (04) à tarde. Eles foram informados que os canais entre 60 e 70 serão consignados para o serviço público.

Diante das informações, o deputado Arthur Cunha Lima observou que os investimentos nos novos equipamentos da TVAL só podem ser feitos após a definição do Ministério das Comunicações. “A luta pelo canal aberto da TV Assembléia é uma das colunas da nossa gestão, mas temos que agir com calma, já que o próprio Ministério das Comunicações recomenda que se espere primeiro a realização da Conferência Nacional de Comunicação. Em seguida, a definição dos canais e dos critérios de liberação dos pedidos já encaminhados. Ainda por cima, temos que esperar um pouco mais para investir em equipamentos definitivos, já digitais”, comentou.

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.