Militante denuncia falta de acessibilidade no transporte coletivo de Campina Grande

O biólogo Antônio Lopes Gaião, mais conhecido como Tony Ambientalista por sua atuação em relação a questões do meio ambiente, vai formalizar denúncia no Ministério Público Federal na próxima quarta-feira (26) solicitando que as autoridades competentes adotem as medidas cabíveis para promover a acessibilidade de pessoas com deficiência nos ônibus de Campina Grande.

“Denunciamos a situação pela qual passam as pessoas com deficiência na cidade Campina Grande, envolvendo principalmente os transportes coletivos que deveriam ter as rampas funcionando para o acesso de cadeirantes aos veículos. Como isso não acontece, fica prejudicado o direito constitucional de ir e vir”, disse ele.

Outra preocupação relatada por ele é o desrespeito dos transportes coletivos aos idosos que normalmente não têm, segundo o denunciante, seus pedidos de parada atendidos.

No rol de reclamações contra os coletivos de Campina Grande ainda consta a obrigatoriedade de pessoas que usam muletas passarem pelas catracas dos ônibus: “É um absurdo e uma exigência extremamente humilhante e dificultosa, pois os motoristas não abrem a porta do meio, pela qual as pessoas com deficiência tem o direito de entrar”, comentou Tony.

Constam ainda na denúncia a diminuição da frota aos fins de semana e os problemas estruturais registrados nas calçadas de Campina Grande. “Elas estão esburacadas e causam riscos às pessoas. Além disso, é comum a ausência das rampas e da sinalização nas calçadas para deficientes visuais”.

Tony afirma que sua denúncia toma como base os preceitos constitucionais: “Está no Artigo 6º que são direitos sociais a educação, a saúde, a alimentação, o trabalho, a moradia, o transporte, o lazer, a segurança, a previdência social, a proteção à maternidade e à infância, a assistência aos desamparados. Portanto, vamos continuar defendo todos as pessoas com deficiência e a garantia dos seus direitos”, concluiu.

Comentários