Milanez quer informações sobre desapropriações e vai ao MPE

O vereador licenciado de João Pessoa, Fernando Milanez (PMDB), vai voltar à Câmara Municipal no dia 3 de janeiro e anunciou hoje em entrevista ao Parlamentopb que sua primeira ação na retomada do mandato será a solicitação de uma audiência com o prefeito Luciano Agra (PSB). A pauta do encontro será o processo de desapropriação de algumas áreas da cidade, a exemplo da Fazenda Cuiá, do Aeroclube da Paraíba e de um terreno na avenida Ruy Carneiro, pertencente ao deputado federal Wellington Roberto (PR). Para Milanez, esse fenômeno não é natural e precisa ser explicado:

– Eu quero obter esclarecimentos sobre esse assunto e vou pedir uma audiência aberta ao prefeito para que a imprensa também participe. Caso ele não conceda, vou procurar o Ministério Público Estadual e Federal porque esse processo merece ser bem detalhado. Não duvido da honestidade do prefeito, mas acredito que é necessário mais transparência nas ações da Prefeitura que está agindo com furor nas desapropriações em áreas nobres. Tudo bem que queira fazer um parque ecológico, mas será que o Bessa não precisava mais de saneamento básico?

Sem esconder sua disposição para engrossar o côro da oposição, Milanez também pretende questionar bandeiras da administração, como o Orçamento Democrático, considerado por ele como sendo "uma brincadeira para inglês ver" e obras como a da fonte luminosa do Parque Solon de Lucena, definidas como "uma bela maquiagem que não estrutura a cidade em nada".

Prefeito – O vereador peemedebista também revelou ao Parlamentopb que pretender ser candidato a prefeito em 2012 e espera o apoio de seu partido, o PMDB. Apesar disso, o governador José Maranhão já citou algumas vezes o nome do deputado federal Manoel Júnior como uma das possibilidades para a disputa municipal vindoura. Mesmo assim, Milanez não esmoreceu:

– Manoel Júnior é um grande nome, mas ele nasceu em Pedras de Fogo. O nosso atual prefeito é de Campina Grande. Acredito que João Pessoa está com a autoestima elevada e vai querer um prefeito filho da cidade. Meu nome está colocado e digo o que já comentei com o governador: o melhor nome para concorrer é o dele. Mas, se Maranhão não quiser, não vamos aceitar um nome que seja retirado do colete. O PMDB precisa fazer uma discussão interna sobre suas opções. Eu quero ser candidato e o serei. Se o partido não me acolher, vai ter que me dar a oportunidade de buscar abrigo em outro que aceite minha postulação.

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.