Menor orçamento para defesa agropecuária ameaça saúde da população, diz CONSEAGRI

O Conselho Nacional de Secretários de Estado de Agricultura (CONSEAGRI) decidiu enviar esforços para aumentar o Orçamento de Defesa Agropecuária 2019, reduzido pelo Governo Federal. O evento foi presidido pelo paraibano Rômulo Montenegro, em recente reunião na feira mundial EXPOINTER, realizada no município de Esteio, na região metropolitana de Porto Alegre, no Rio Grande do Sul.

Segundo a categoria, essa diminuição fragiliza o comércio de produtos derivados animais e ameaça a saúde da população brasileira. A defesa agropecuária inclui, naturalmente, o combate à febre aftosa, doença viral altamente contagiosa que afeta principalmente bovinos de leite e de corte e os suínos.

O alerta foi feito pessoalmente ao representante do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, José Guilherme Tollstadius Leal, que exibiu estatísticas comprovando o corte gradativo e anual de recursos orçamentários destinados à defesa agropecuária.

Nos próximos meses, portanto, antes da execução do Orçamento Federal 2019, o CONSEAGRI tentará aumentar o montante relativo à defesa agropecuária pelas seguintes vias: emendas (individuais, estaduais e da Comissão Mista de Agricultura Senado-Câmara) ou projeto de lei sobre o assunto, matéria que está “engavetada” há muitos meses.

O Conselho, por intermédio do seu presidente, também manterá contato com a presidente da Frente Parlamentar de Agricultura (FPA), deputada federal Tereza Cristina (DEM-MT), para solicitar-lhe apoio político à reivindicação, “cujo objetivo maior”, como disse Rômulo Montenegro, “é fortalecer o setor rural e zelar pela saúde da população brasileira”.

Participaram da reunião secretários de Agricultura de diversos estados do Brasil.

Comentários