Médicos de Cabedelo podem parar a partir do próximo dia 18

O Sindicato dos Médicos do Estado da Paraíba (Simed-PB) está desde o último dia 08 de abril buscando intermediar a negociação entre a Prefeitura de Cabedelo e os médicos do Hospital Padre Alfredo Barbosa, tendo inclusive enviado solicitação de reunião entre o gestor municipal e o sindicato para tentar evitar a greve.

De acordo com a entidade sindical, a prefeitura vem pagando os plantonistas do hospital sem nenhum critério. Alguns chegam a ganhar até duas vezes o valor do plantão para 12h. “Além desse problema, as condições de trabalho estão muito ruins. Os locais de atendimento são muito apertados, os cilindros de oxigênio ficam expostos no corredor sem nenhuma medida de segurança, o repouso médico é muito pequeno para os cinco plantonistas e não há ventilação (janelas). Falta medicamentos, e o que é pior: até a última terça-feira não tinha gerador funcionando no hospital”, relatou Tarcisio Campos, presidente do Simed.

Tarcisio Campos disse ainda que em reunião realizada no referido hospital, com participação de médicos e representação do sindicato, no dia em que ocorreu problemas no fornecimento de energia elétrica na Grande João Pessoa, o sindicato tentou fazer um boletim de ocorrência na delegacia para resguardar a integridade dos médicos que estavam de plantão.

O CRM (Conselho Regional de Medicina) já foi avisado. “Estaremos fazendo uma visita em conjunto, possivelmente no próximo dia 13, para avaliar a condição ética de funcionamento do hospital. Já foi feita uma reunião com secretário de saúde que está tentando marcar a audiência conjunta, com uma comissão dos médicos e o Simed/PB”, disse Tarcisio Campos.

O presidente do Simed espera que o problema seja resolvido rapidamente: “esperamos a solução desse impasse para que a população de Cabedelo não seja prejudicada. Todos os prefeitos estão dando aumento para os servidores. Até agora estamos aguardando a mensagem do prefeito de Cabedelo para o reajuste anual dos servidores de uma cidade que tem uma das maiores arrecadações do estado”, concluiu.
 

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.