Marinho Mendes deixa promotoria eleitoral decepcionado com eleitores e PF

O promotor Marinho Mendes Machado deixou a 10ª zona eleitoral, em Guarabira, com queixas em relação à atuação da Polícia Federal e ao eleitorado da cidade durante a campanha do ano passado. Marinho, que ficou conhecido por seu trabalho rígido na coibição a crimes eleitorais, se disse prejudicado pela PF: "Eu fiz o meu trabalho, desencalhei uma série de inquéritos, mas não dependia somente de mim. A Polícia Federal não dava conta dos inquéritos eleitorais. É uma grande verdade. Eles não fazem nada, não fazem as diligências e a gente fica nessa dependência", resumiu.

Contudo, a queixa maior do promotor foi com o comportamento dos eleitores: "Saí com minha parte atualizada, durante a campanha eleitoral, que foi minha maior decepção e trauma. Não por causa dos candidatos, mas pelo eleitorado que não tem consciência e até por causa de gente que pensamos ter consciência e até defende que as pessoas recebam mixarias, que se vendam, se prostituam recebendo migalhas de candidatos corruptos. Tinha gente que corria atrás de cachaça".

As declarações de Marinho Mendes foram dadas ao repórter Jota Alves e reproduzidas na Rede Paraíba Sat.

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.