Notícias de João Pessoa, paraíba, Brasil

Marina Silva e eu

Facebook
Twitter
WhatsApp
Telegram

Ela é uma figura confusa, cujo perfil e personalidade diverge entre os próprios opositores. Para os que se dizem de esquerda, ela é uma traidora do movimento, que se aliou a grupos de elite, reacionários. Para os conservadores mais ferrenhos, ela não passa de uma comunista enrustida, que ainda mantém intimidade com o PT. Para ambos ela é covarde e dissimulada, e, por isso, ainda mais perigosa.

Para mim, e correndo o risco de também estar errado, ela é uma pessoa que viveu e aprendeu. Que se permite modificar com as experiências. Que vive em processo, em movimento. Que não admite a estagnação, cultural, intelectual, ideológica. Mudou de religião, de partido, mudou. Cresceu. Amadureceu. Melhorou. Marina não é a mesma pessoa do passado. E talvez não seja do presente. Marina aponta para o futuro.

Uma histórica ambientalista de carteirinha, que se permitiu entender e reconhecer, publicamente inclusive, a importância do agronegócio. Que há alguns anos tem a iniciativa de se aproximar de ruralistas para trocar figurinhas. Para a decepção dos ambientalistas, para a desconfiança dos ruralistas… Uma histórica militante petista, que não aceitou a esquerda pela esquerda, o poder pelo poder… A cartilha pela cartilha. Que não aceitou ficar com o ideal, mesmo quando o real lhe apresentava coisa distinta…

Decidiu declarar apoio a Aécio no 2º turno, em 2014, ainda sob o legado do Mensalão. Teria sido mais fácil se esquivar na omissão. E, naquele dia, na segurança secreta e confortável da urna, hastear uma das bandeiras, como muitos fizeram. Hoje, na égide da Lava Jato, e suas revelações sobre o tucano, diz que, se tudo houvesse sido revelado à época, não teria preferido nenhum…

Não demoniza partidos nem pessoas, mas também não santifica. Não elege culpados e inocentes, deixa isso para a Justiça. Não vê a punição como vingança, mas como reparação. Sem ódio, mas com compaixão. Apoiou o impeachment, porque entendeu que Dilma cometeu crime de responsabilidade, e que o Brasil não se sustentava mais com ela. Defendeu a cassação da chapa Dilma-Temer pelo TSE, porque entendeu que cometeram, ambos, severas irregularidades na campanha. Seu partido protocolou o pedido de cassação do mandato de Eduardo Cunha, com êxito. Ela opina, ela se expõe, mas não histericamente como a gente gosta. O faz ao seu modo, mais discreto e educado do que o convencional. E, sobretudo, respeita e acata decisões. Como acatou a prisão de Lula, com responsabilidade e sem ressentimentos.

Descobri com o tempo, só com o tempo, que essas não são atitudes covardes nem dissimuladas, mas corajosas e autênticas… É tão mais fácil manter-se fiel aos ideais da juventude, mesmo quando o transcurso vida nos mostra coisas novas… Mudar é mais difícil do que permanecer igual. Vi Brizola morrer igual e isso me causou admiração há época. Chorei de emoção. Mas não penso mais assim. Não é possível que tudo o que a vida tem pra nos mostrar o faça até os vinte e cinco anos… Mas aos dezoito a gente já se sente pleno. Equivocadamente pleno… Aos trinta e cinco, sinto minha mente ainda confusa, ainda imatura, ainda em desenvolvimento… Talvez aos cinquenta ou sessenta eu vá montando o quebra cabeças, ou talvez nunca…

Nos cinco anos como Ministra do Meio Ambiente, no governo do PT, no auge do seu poder e da corrupção, conta que ninguém, ninguém se aproximou dela para sequer, sequer propor qualquer ilegalidade… Parece que as pessoas percebem quando a gente se permite, não é mesmo? Ao contrário do que alguns pensam, divórcio não significa necessariamente traição, o adultério sim… Ela se divorciou de muitas coisas, para se manter fiel… Sem mágoas e sem guerras com os antigos companheiros…

Mas essa não é a política que a gente gosta. Porque a gente não gosta da paz. A gente gosta da guerra. Da guerra santa. A gente gosta mesmo é de se sentir um soldado do bem, missionário da verdade. Nada como um demônio para fazer a gente se sentir um anjo… É bom triunfar diante da prostração do inimigo. Pisar na cabeça da serpente, sem pena…

A paz é sem graça, porque nela não há vencedor (para que ninguém perca). Ninguém fica por cima (para não rebaixar ninguém). A paz não cativa, é serena e madura. Já a guerra é contagiante, poderosa e cheia de vigor!

Sigo, Marina e eu, entre decepcionados e desconfiados… Sem muito alarde, sem muito ibope… Intimamente convencido de que o remédio para a radicalidade é a moderação…

Tags

Leia tudo sobre o tema e siga

MAIS LIDAS

UEPB: uma crise democrática

Confusão continua: TRE nega ter chancelado posse de Raissa Lacerda na Câmara

Anteriores

SMS_Dia_D_Poliomielite_Foto_Kleide_Teixeira_09-scaled

João Pessoa realiza ‘Dia D’ de vacinação contra poliomielite neste sábado

WhatsApp Image 2024-06-14 at 17.41.17

TCE-PB divulga número de servidores contratados nos municípios do Estado

e566060c-5de1-4ed1-8356-d3e59a96bccb

João Azevêdo inspeciona obras com investimentos de R$ 87,5 milhões em Princesa Isabel e Tavares

1718377352730

Sabadinho Bom tem Joca do Acordeon como atração neste fim de semana

IMG_6802-scaled

Alunos da Rede Municipal de Ensino de João Pessoa participam de torneio de robótica neste sábado

WhatsApp Image 2024-06-14 at 15.00.05

Pré-cadastro de pessoas interessadas em doar sangue no Dia do Orgulho LGBT começa nesta sexta

polícia-militar-pm-paraíba

Concurso da PM e Bombeiros da Paraíba terá pelo menos mais 200 convocados

Cofeci - Emirados Árabes 2

Cofeci e Emirados Árabes iniciam intercâmbio voltado ao mercado imobiliário

Wellington Farias 2

Wellington Farias será homenageado no Caminhos do Frio em Serraria

Paulo Braz de Moura, prefeito Poço José de Moura

Pleno do TJPB recebe denúncia contra prefeito de Poço José de Moura