Marcos Odilon aconselha PMDB a expulsa-lo e ironiza presidente

O prefeito de Santa Rita, Marcos Odilon (PMDB), reiterou hoje seu desejo de ser expulso da legenda. Ele garantiu que não pretende pedir sua desfiliação, mesmo depois de ter rompido politicamente com o governador José Maranhão (PMDB) no segundo turno e apoiado Ricardo Coutinho (PSB):
 
– Espero que me expulsem. O PMDB tem ódio de mim. Sempre teve. Nós ganhamos a convenção do PMDB e o senador Humberto Lucena veio de Brasília, não reconheceu a decisão da convenção, fez outra e apresentou outro candidato. Mesmo assim, eu fui candidato. Em Santa Rita, eu fui prefeito quatro vezes. Três delas por outro partido. A eleição que tive menor votação, mas fui eleito, foi quando disputei pelo PMDB. O PMDB e nós outros não nos afinamos bem. É um direito que eles têm, de me expulsar. Não sei qual é o problema. Eu só fiz bem ao partido.
 
Com tom irônico, o prefeito perguntou aos jornalistas como era o nome do presidente do PMDB da Paraíba. Ao ser informado que se tratava de Antônio Souza, ele indagou que mandato ele tinha. Ouvindo que Souza é contador, Marcos comentou:
 
– Eu lembrei agora de uma anedota que ouvi em Fortaleza e que dizia… como é mesmo o nome dele? Antônio Souza? Dizia que quando morreu um contador, deu orientação para colocarem no túmulo dele: "Aqui jaz um contador, contador de grande monta, que nunca errou uma conta, a não ser em seu favor.

A entrevista foi veiculada no programa Hora da Notícia, da Arapuan FM.

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.