Maranhão oferece 10% a professores e evita greve

O governador José Maranhão (PMDB) conseguiu evitar a greve dos professores da rede estadual de ensino que estava programada para começar amanhã. Em reunião mantida hoje, no fim da tarde, com os representantes da Associação dos Professores de Licenciatura Plena do Estado da Paraíba (APLP), o governador ofereceu um reajuste ainda superior ao que esperava a categoria. Enquanto os docentes pediam 9,35%, Maranhão concedeu 10% a serem implementados já nos contracheques de maio.

A medida atualiza o piso salarial nacional dos professores da rede estadual de ensino, que atualmente está fixado em R$ 776,93 e passa a R$ 854,62, para 30 horas semanais de atividades. A medida beneficia os 17 mil professores e técnicos do magistério estadual.

De acordo com o secretário da Administração, Antonio Fernandes Neto, que participou do encontro, o impacto mensal na folha de pessoal será em torno de R$ 2 milhões. Ele afirmou que a reposição atende ao que determina a lei e o Governo do Estado, apesar da queda de receitas, “realizou um trabalho intenso para compatibilizar recursos do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (Fundeb), e atender ao piso nacional dos professores decretado pelo Governo Federal".

"Foi uma reunião muito positiva. O Governador não apenas atendeu, como ainda superou nosso pedido. Vamos fazer uma assembleia amanhã à tarde para comunicar as conquistas aos professores, mas a ameaça de greve não existe mais", disse o professor Francisco Fernandes, presidente da APLP ao Parlamentopb.

A assembleia acontece na sede do Sintep, no bairro de Tambiá, em João Pessoa, às 15 horas.

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.