Maranhão não apresenta proposta, mas pede suspensão de greve

O governador José Maranhão (PMDB) se reuniu no final da manhã de hoje com os policiais civis e delegados grevistas na sede da PBPrev, em João Pessoa. Ele reafirmou que o Governo não teria condições de oferecer um reajuste superior ao já apresentado. Maranhão pediu aos representantes dos delegados e policiais que suspendessem a greve para evitar maiores prejuízos à população e sugeriu a formação de uma comissão para analisar as reivindicações dos grevistas, com um prazo de 30 dias para apresentar uma resposta final para o impasse.

Antes da entrevista, ele conversou rapidamente com os repórteres e adotou um tom forte sobre o assunto: "Não vamos admitir que ninguém prejudique os servidores do Estado. Fica difícil ultrapassar os limites financeiros, mas nem por isso a gente interrompe as negociações", declarou.

O presidente da Associação dos Policiais Civis (Aspol), Flávio Moreira, não quis comentar a manutenção do impasse e informou que o assunto será levado para a apreciação da categoria na segunda-feira: "Escutamos a ponderação e a sugestão de suspender a greve para diminuir os prejuízos à população. Não houve proposta numérica, mas vamos levar o assunto para uma assembleia para que eles apreciem. Particularmente, não tenho que me posicionar. Nossa função é de levar o assunto à categoria. Ele deixou evidente que nossas reivindicações são justas e que o movimento conta com o respeito dele, mas colocou a impossibilidade do Estado de nos atender", resumiu.

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.