Maranhão minimiza polêmica e afirma que Weick permanece no Governo

O governador José Maranhão (PMDB) chegou com atraso superior a 1h40 ao Palácio da Redenção para a assinatura do protocolo de intenções com 17 empresas. Como foi abordado pela imprensa logo na entrada, ele não pôde evitar responder à principal pergunta dos repórteres, que lhe indagaram qual seu posicionamento sobre a denúncia do Sindifisco sobre uma suposta ação do ex-procurador Geral do Estado, Marcelo Weick, que teria anulado um auto de infração de R$ 12,5 milhões do Moinho Dias Branco.

Maranhão pediu desculpas por não poder se demorar, em face de seu atraso para a solenidade, mas declarou que só tomou conhecimento do assunto hoje cedo. Mesmo assim, acrescentou que caberá ao Conselho de Contribuintes emitir um parecer sobre a polêmica. Os jornalistas insistiram e quiseram saber se o cargo de Weick, nomeado recentemente para a secretaria chefe da Casa Civil, estaria em jogo, o governador foi taxativo:

"É claro que ele fica" – resumiu Maranhão.

TAGS

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.