Maranhão explica que considera decreto de Bolsonaro sobre armas “inconsequente”

O senador José Maranhão (MDB) votou pela derrubada do decreto presidencial que amplia o porte e posse de armas no país. Favorável, em tese, ao porte de armas como direito do cidadão de se proteger, o senador José Maranhão disse ter votado contra o decreto do presidente Bolsonaro por ter considerado o texto “inconsequente em relação à forma de concessão do porte de armas”. José Maranhão afirmou que o decreto concede indiscriminadamente o porte de armas, independente do interesse dos agentes beneficiados, como vereadores, jornalistas, advogados.

“O decreto foi superficial na análise da necessidade de concessão do porte, é excludente de alguns agentes públicos e privados não incluídos na relação dos possíveis beneficiados com o decreto. Sou favorável à ampliação do porte, mas não na forma que o decreto abordou essa questão complexa”, concluiu o senador paraibano.

Aprovado por 47 votos a 28 no Senado, o projeto de decreto legislativo que derruba a flexibilização das regras sobre armas, apresentado pelo senador Randolfe Rodrigues, segue para votação na Câmara dos Deputados.

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.