Maranhão encontra Chinaglia e afirma que PT e PMDB vão continuar unidos

O PMDB e o PT vão continuar com a mesma aliança política durante as próximas eleições, em nível nacional e local. Foi o que anunciaram, hoje, o governador José Maranhão e o deputado Arlindo Chinaglia (SP), ex-presidente da Câmara Federal, após encontro na residência do governador, no bairro do Altiplano.

Durante o encontro, que teve a participação do deputado federal Vital do Rego Filho, do secretário da Casa Civil, José Ricardo Porto, das secretárias de comunicação, Lena Guimarães, e do Desenvolvimento Humano, Giucélia Figueiredo, o parlamentar paulista disse que veio para tratar da continuidade da base política do governo federal na Paraíba, tendo em vista já existir aliança na pessoa vice-governador Luciano Cartaxo, mas também para discutir o apoio para a futura candidatura da ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff à presidência da República.

Segundo ele, mesmo estando o presidente empenhado em consolidar a candidatura da ministra, o governador Maranhão terá o apoio por parte de Lula. “Na Paraíba, o PT e o PMDB já se coligaram, tanto é que o vice-governador é petista e sempre por tradição no PT temos uma linha nacional, mas evidentemente respeitando a opinião local”, comentou Chinaglia.

Já o governador reafirmou sua posição de apoio ao presidente Lula, que vem desde os primeiros momentos em que este se candidatou à presidência da República, numa época quando suas chances eram pequenas para se eleger. Maranhão considera que a administração petista no nível nacional está surpreendendo, inclusive os que apostavam no insucesso do seu governo.

“Esta aliança aqui na Paraíba não é ocasional ou acidental, nem tão pouco oportunista, mas uma aliança de quem tem uma história de coerência e de compromisso com a candidatura apoiada por Lula e pelo PT nacional”, afirmou.

O governador disse que sempre teve um bom relacionamento com Chinaglia, principalmente nos últimos três anos de seu mandato de senador, mesmo sendo ele deputado federal.  Destacou a forma como este presidiu a Câmara dos Deputados, “sempre com pulso forte”, procurando preservar a imagem do Poder Legislativo. “Ele sabia se impor às pressões internas e se impor às externas”, afirmou Maranhão.

Ainda sobre a candidatura de Dilma, o deputado Arlindo Chinaglia disse que a doença que tem levado a um tratamento rigoroso nos últimos meses não será empecilho para que possa postular a presidência, até porque os diagnósticos apontam que está com 90% de chances de cura. “Como médico, avalio que esta doença já está no passado. Evidentes que sempre tem que ter cuidado e as avaliações são altamente otimistas”, afirmou.
 

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.