Maranhão busca recursos para Trauma de CG e duplicação da BR-104

Até o final do ano, o Ministério dos Transportes deve repassar recursos em torno de R$ 10 milhões, necessários à licitação e ao início das obras de duplicação da BR-104, que liga Campina Grande a Caruaru, no trecho até a divisa com o Estado de Pernambuco.  A confirmação foi dada ao governador José Maranhão, durante audiência na manhã de hoje, pelo ministro da pasta Alfredo Nascimento, em Brasília (DF).

O ministro comprometeu-se, ainda, em se empenhar pela liberação, no próximo ano, de emenda ao Orçamento da União em torno de R$ 50 milhões, a ser defendida junto à bancada estadual pelo deputado Wilson Santiago (PMDB) da Paraíba, também presente ao encontro no Ministério dos Transportes. A delegação de competência sobre a obra da BR-104 ao Governo da Paraíba foi compromisso público do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, firmado durante visita a Campina Grande.

De acordo com Maranhão, a rodovia é importante para o desenvolvimento das atividades econômicas da Paraíba e da cidade pernambucana de Caruaru. As duas cidades abrigam indústrias de confecções, têxtil e na área metalúrgica. A duplicação da BR-104, executada em parceria com o Governo Federal, vai facilitar o tráfego e beneficiará também o turismo. No trecho de Caruaru as obras já começaram.

Trauma – Em outro compromisso mantido hoje na capital federal, Maranhão conseguiu viabilizar a liberação de recursos federais que estavam bloqueados para construção do Hospital de Emergência e Trauma de Campina Grande. O aporte de recursos liberados gira em torno de R$10 milhões, necessários à continuidade das obras.

Os recursos, apesar de depositados nos cofres do Estado, estavam bloqueados. A liberação foi confirmada em audiência mantida entre o governador paraibano e o diretor-executivo do Fundo Nacional de Saúde, Arionaldo Bomfim Rosendo.

Segundo o governador José Maranhão, a obra vinha sendo executada apenas com recursos do Tesouro Estadual, “uma obra importantíssima para a cidade de Campina Grande”.

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.