Lula vai à TV e acusa José Serra de partir para a baixaria

O presidente Lula ocupou na noite desta terça-feira parte do programa eleitoral da candidata petista Dilma Rousseff para atacar a candidatura de José Serra (PSDB) por conta das críticas que se sucederam à quebra de sigilo de dados fiscais, na Receita Federal, de pessoas ligadas ao tucano –apesar disso, o caso não foi citado diretamente.

A fala de Lula (de cerca de dois minutos e pouco mais de 300 palavras) segue estratégia definida pela campanha de Dilma de poupar a candidata do PT e deixar que o presidente faça ataques diretos ao adversário tucano e à oposição.

Nos últimos dias, a cúpula dilmista chegou à conclusão de que havia uma escalada nos ataques e provocações da oposição no horário gratuito da TV e rádio, que não poderiam ficar sem resposta. A data –Sete de setembro– foi considerado o momento ideal.

"Infelizmente, nosso adversário, candidato da turma do contra, que torce o nariz contra tudo que o povo brasileiro conquistou nos últimos anos, resolveu partir para os ataques pessoais e para a baixaria. Tentar atingir, com mentiras e calúnias, uma mulher da qualidade de Dilma Rousseff é praticar um crime contra o Brasil. E, em especial, contra a mulher brasileira", disse Lula.

Segundo o presidente, que citou a efeméride de 7 de setembro, uma nação "forte, justa e independente" não é feita por "aqueles que só pensam em destruir" e que "colocam seus interesses pessoais acima dos interesses do país".

Lula disse ainda que Dilma tem feito uma campanha "elevada, discutindo propostas e ideias e mostrando o que fizemos e o que ainda vamos fazer pelo Brasil".

O presidente, que exortou os adversários a ter "mais amor pelo Brasil", encerrou o pronunciamento pedindo "equilíbrio e prudência" àqueles que "caluniam Dilma movidos pelo desespero, pelo preconceito contra a mulher e também contra mim".

O PT também colocou no ar hoje uma propaganda de 30 segundos com Lula falando sobre o assunto. "O Brasil já cansou de ver esse filme: um candidato dispara nas pesquisas e aí começam as acusações sem provas", diz o presidente.

Francenildo

Já o PSOL trouxe no programa de hoje um depoimento do caseiro Francenildo Santos Costa, que ficou conhecido no escândalo que derrubou Antonio Palloci do Ministério da Fazenda em 2006.

O caseiro criticou o fato de ele ter sido citado por Serra e declarou voto a Plínio de Arruda Sampaio. "Ele está usando a minha honestidade", afirmou Francenildo sobre o tucano.

 

Folha Online

TAGS

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.