Luiz Henrique comemora absolvição com 9.000 fogos

O governador Luiz Henrique da Silveira (PMDB-SC) comemorou anteontem a absolvição no processo de cassação com a queima de 9.000 fogos de artifício em Joinville (186 km de Florianópolis), reduto eleitoral do peemedebista, onde ele foi eleito três vezes prefeito.

O TSE (Tribunal Superior Eleitoral) rejeitou anteontem, por 6 votos a 1, o pedido de cassação apresentado pela coligação do ex-governador Esperidião Amin (PP), segundo colocado na eleição de 2006. Luiz Henrique foi acusado de usar indevidamente publicidade institucional na disputa. O presidente do tribunal, Carlos Ayres Britto, deu o único voto favorável à acusação.

O diretório do PMDB de Joinville comprou três baterias com 3.000 fogos cada uma. A queima ocorreu em frente à casa de Luiz Henrique.

Segundo o secretário-adjunto do partido na cidade, Clailton Breis, as três sequências de pirotecnia foram uma referência à "terceira vitória" do governador contra Amin. Ele se refere aos dois turnos da disputa de 2006 e ao processo judicial.

Após o foguetório, foi servido um jantar na casa de Luiz Henrique. O governador viajou para Joinville acompanhado de aliados do PMDB, entre eles o prefeito de Florianópolis, Dário Berger, e o ex-governador Eduardo Pinho Moreira. Ambos são cotados como pré-candidatos à sucessão em 2010. O vice-governador Leonel Pavan (PSDB), outro possível candidato, foi para Brasília.

"Em todas as pesquisas que vem sendo realizadas, o povo tem respaldado fortemente o meu governo", disse o governador para a rádio CBN/ Diário. "Esse processo enterra definitivamente qualquer pretensão majoritária do meu adversário [Esperidião Amin]".

Luiz Henrique deve renunciar em 2010 para concorrer ao Senado. Amin também pode disputar o cargo.

A coligação do ex-governador ainda não decidiu se vai recorrer ao STF (Supremo Tribunal Federal).

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.