Luiz Couto questiona exoneração e diz que não é “súdito” de João

Exonerado na semana passada do governo da Paraíba, onde respondia pela Secretaria de Agricultura Familiar, Luiz Couto falou hoje sobre seu desligamento da gestão estadual e voltou a dizer que havia solicitado férias no dia 23 de outubro para se dedicar à campanha eleitoral.

“Não pretendi desrespeitar o governador como alguns disseram. Eu tinha direito a férias e as solicitei para me dedicar à campanha eleitoral. Mesmo assim, fui exonerado. Eu não achei que deveria pedir para sair porque eu trabalhei corretamente e foi uma ação que engrandeceu a Agricultura Familiar. Entendo que meu voto é livre. Eu não sou súdito de João Azevêdo. Talvez ele esperasse que eu tivesse ódio de Ricardo Coutinho, mas não tenho. Eu segui a orientação de meu partido, através da direção nacional, que recomendou a reciprocidade com Ricardo, já que ele foi solidário a Lula, Dilma e ao PT nos momentos mais difíceis”, declarou.

Couto revelou ter ficado descontente com as exonerações de dois de seus assessores, que também haviam sinalizado pelo apoio a Ricardo Coutinho para a prefeitura de João Pessoa.

O ex-secretário ainda questionou o motivo pelo qual o secretário Efraim Morais, dos Democratas, permaneceu no Governo mesmo com a candidatura de Raoni Mendes à prefeitura da capital.

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.