Ludgério, Romero e Arnaldo divergem sobre frase de Maranhão a Ricardo

Três deputados estaduais paraibanos comentaram hoje de manhã, em entrevista ao Jornal Integração, da Campina FM, a frase dita pelo governador do Estado, José Maranhão (PMDB), quando imaginava que não estivesse no ar na TV Correio. Para Romero Rodrigues (PSDB) e Manoel Ludgério (PDT), a frase "Eu tenho é pena dele", dita pelo chefe do executivo em relação ao prefeito de João Pessoa, Ricardo Coutinho (PSB), foi uma demonstração de sarcasmo e arrogância. Enquanto isso, o deputado Arnaldo Monteiro (DEM) discordou e disse que o governador foi pego de surpresa e acabou dizendo o que não gostaria que fosse ao ar.

"José Maranhão é um homem de conduta séria e foi pego de surpresa naquele momento. Isso acontece quando você está distraído. Ele não queria que aquilo fosse ao ar. José Maranhão não tem pena de Ricardo, até porque o prefeito é um aliado seu. Ele também não tem medo de enfrentar Ricardo nas urnas porque Maranhão está consolidando o Governo", declarou Arnaldo Monteiro.

Já os oposicionistas têm opinião diferente. Para Manoel Ludgério, a declaração seria dada mais cedo ou mais tarde: "Até o final de setembro, algo assim seria dito, se não algo mais forte. Ele foi infeliz e mostrou que subestima a capacidade eleitoral de Ricardo Coutinho". O colega Romero Rodrigues também emitiu sua opinião sobre o assunto: "O governador foi sarcástico e desdenhou de Ricardo. Foi arrogante e prepotente, combinando com a forma biônica como chegou ao poder. Eu não tenho pena de Ricardo Coutinho porque ele é prefeito da capital e tem cumprido com suas atribuições", emendou.

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.