Ludgério aprova convocação de Assis Almeida e Edísio Souto

O líder de oposição na Assembleia Legislativa, Manoel Ludgério (PDT), teve aprovado na tarde de hoje seu requerimento, protocolado na última quinta-feira e que previa a convocação do consultor jurídico do Governo do Estado, Francisco de Assis Almeida; do procurador geral do Estado, José Edísio Souto; e do presidente do Conselho de Contribuintes, Alfredo Gomes Neto. A aprovação gerou uma manifestação crítica do petista Jeová Campos.

"Por mais boa vontade que essas pessoas tenham, me pergunto que contribuição haveria mais a ser dada sobre esse assunto porque tivemos hoje a presença do ex-procurador geral do Estado, Marcelo Weick, que esclareceu todas as dúvidas sobre o caso. O requerimento perdeu o sentido. Parece que o que se quer é esticar a corda da discussão política", disse Jeová.

Ludgério, contudo, comentou que o caso da reversão de parte de um auto de infração ao Moinho Dias Branco graças a um parecer de Marcelo Weick não estava devidamente esclarecido: "Os próprios Edísio Souto e Assis Almeida demonstraram a vontade de comparecer à Assembleia para falar sobre o tema. Além disso, eles têm uma grande contribuição a dar porque Edísio Souto foi quem revogou a decisão de Weick. Queremos saber porque ele agiu assim. Assis Almeida chegou a pedir a abertura de um processo para apurar se o entã procurador geral do Estado teria advogado em causa própria. Ao final de tudo isso, podemos fazer juízo de valor e tomar uma atitude. Vamos mandar todos os depoimentos ao MPE, vamos pegar notas taquigráficas e remeter para contribuir com a apuração do caso", resumiu.

A sessão de hoje foi encerrada pouco depois das 16 horas para que os deputados pudessem participar da missa de aniversário de morte do ex-presidente da Assembleia Legislativa, Gervásio Maia.

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.