Luciano Cartaxo afirma não estar preocupado com salário

O prefeito de João Pessoa, Luciano Cartaxo (PT), minimizou hoje a repercussão do valor de seu salário, R$ 22 mil, o mais alto entre os gestores das capitais do Nordeste e o sétimo entre os prefeitos das capitais do Brasil. Ele disse que o montante é  o mesmo que recebia quando era deputado estadual, afirmando que o trabalho "aumentou 10 vezes":
 
– Não quis ser prefeito por causa do salário. O valor é o mesmo que recebia quando era deputado estadual. Quem definiu o salário foi a Câmara e ainda na gestão passada. Independente do valor do salário, estou aqui para lutar pelo povo.
 
O prefeito ainda comentou as críticas que a oposição tem feito à recém-criada Secretaria de Segurança e Cidadania do Município e afirmou que a Pasta ainda não teve tempo para dar respostas efetivas a seus objetivos. Ele pediu paciência aos adversários e destacou que a secretaria terá um papel importante na prevenção às drogas e à criminalidade:
 
– A secretaria foi criada há cerca de 70 dias e vamos ter uma integração muito forte com o Ministério da Justiça, vamos incluir João Pessoa no programa Brasil Mais Seguro, dar mais mobilidade à Guarda Municipal e capacitá-la para combater a criminalidade, de maneira preventiva. É preciso lembrar que não chegamos nem a 100 dias de gestão ainda.
 
As declarações de Cartaxo foram dadas hoje de manhã no lançamento do Ciclo do Orçamento Participativo (OP) para o ano de 2013. O programa, apresentado durante solenidade no Hotel Caiçara, inicia um novo calendário com melhorias que pretendem ampliar e qualificar a intervenção popular na gestão. Entre as novidades estão o OP Digital, o OP Criança e Adolescente e o PPA Participativo.
 
Em sua fala, o prefeito Luciano Cartaxo garantiu que vai acompanhar de perto os encontros. “A administração não vai pensar as políticas públicas para o município sozinha. Queremos que o prefeito, os secretários e diretores estejam junto à população para manter um diálogo constante”. Luciano explicou que o ciclo de 2012 levantou 150 demandas prioritárias, e garantiu que todas serão cumpridas.  “Não adianta montar toda essa estrutura se não atendermos ao que foi solicitado”. 
 
Para o vice-prefeito Nonato Bandeira, a maior realização da administração, além das obras já apresentadas, é o aprofundamento do diálogo. “Estamos hoje nos comprometendo a manter esse instrumento real da democracia. É um compromisso que será referendado em cada reunião, em cada bairro. Luciano Cartaxo trouxe essa marca em sua trajetória política e o Orçamento Participativo é um programa que coroa essa marca”, ressaltou.
 
Já o secretário municipal da Transparência, Éder Dantas, destacou o interesse da administração em respeitar as demandas da população. “O OP não é somente chamar a população para as audiências, mas uma oportunidade concreta de compartilhar o poder. O programa não é um adereço. As demandas da população precisam ser levantadas e atendidas, e não esquecidas ao final das plenárias. Por isso todo o secretariado precisa estar presente e comprometido para garantir o sucesso deste instrumento tão importante”, declarou.
 
O secretário executivo do Orçamento Participativo de João Pessoa, Hildevânio Macedo, destacou as melhorias que foram implementadas ao programa neste ciclo. “Não queremos que o OP funcione apenas como uma oportunidade da população solicitar obras. Queremos que cada morador passe a discutir os temas da sociedade junto à administração. Essa foi a orientação dada pelo prefeito Luciano Cartaxo”.
 
O Conselheiro Executivo do Orçamento Participativo, Tadeu Neves, ressaltou o empenho da equipe em manter o objetivo central do programa. “O OP passa por muitas melhorias, mas sem perder a sua essência. O programa vai continuar buscando ouvir a população de João Pessoa e fortalecer a sua participação na administração pública. Fui conselheiro e pude sentir de perto o quanto essa ação é importante para a cidade e para a democracia”, afirmou.
 
O Ciclo 2013 do Orçamento Participativo será iniciado no dia 25 de março, a partir das 19. A primeira plenária ocorrerá na Escola Municipal David Trindade, na Rua José Mendonça, em Mangabeira. A área compõe a 3ª Região do OP.  Até o dia 25 de abril, a Secretaria Executiva do Orçamento Participativo coordenará outras treze audiências regionais.
 
OP Criança e Adolescente nas escolas – Paralelo ao Ciclo 2013, a Secretaria Executiva do Orçamento Participativo colocará em prática o Orçamento Criança e Adolescente (OPCA) nas escolas públicas.  O projeto tem por objetivo oportunizar a crianças e adolescentes a refletir, opinar, elaborar e votar propostas para garantir uma melhoria da qualidade do ambiente escolar e da comunidade.
 
OP Digital – Paralelo ao Ciclo do Orçamento Participativo, a Prefeitura irá implantar o projeto OP Digital, que este ano possibilitará que a população escolha três demandas pela internet (além das 10 demandas escolhidas nas audiências regionais) através do OP digital. Este instrumento é a principal base de dados para o trabalho do OP, pois também será utilizado como mecanismo eletrônico nas Audiências Regionais, a fim de facilitar a votação e sistematização do processo. Esta é uma nova ferramenta que possibilitará a ampliação da participação da população;
 
Ciclo do OP – é formado por um conjunto de etapas para discutir propostas de polícias públicas a serem inseridas nas peças orçamentárias do ano seguinte ao exercício em que ele se realiza. Neste ano, o Ciclo será composto por sete etapas:
 
1ª etapa: Audiências Regionais (de 25 de março a 25 de abril)
É a etapa em que são realizadas 14 plenárias públicas (uma em cada uma das 14 regiões orçamentárias) com o objetivo de avaliar os serviços e políticas públicas desenvolvidas pela Prefeitura de João Pessoa. O ponto alto desta etapa é a votação das demandas. Por meio de um formulário, cada participante indica a área (saúde, educação, mobilidade, urbanismo, cultura entre outros) e especifica o tipo de serviço, obra ou ação que o poder público realize.
 
2ª Etapa: Assembleias Regionais (02 de maio a 05 de junho)
Ocorre, especialmente, para realizar em cada uma das 14 regiões para a realização das eleições que vão escolher os conselheiros do OP para o mandato de dois anos (2013-2015). Os conselheiros do Orçamento Participativo são representações eleitas pelos moradores de cada região que atua na interlocução entre o poder público municipal e a população.
 
3ª Etapa: Assembleia Geral do Orçamento (15 de junho)
Tem o objetivo de realizar a eleição para a escolha dos integrantes do Conselho Municipal do Orçamento Participativo, que tem a função de fiscalizar as obras realizadas pela Prefeitura de João Pessoa (PMJP), os processos de licitação e diálogos com a gestão pública que objetivem melhoria nas políticas públicas em desenvolvimento. 
 
4ª Etapa: Fóruns Temáticos (junho e julho):
Este ano, ao invés de quatro fóruns a Prefeitura de João Pessoa irá realizar 14 fóruns temáticos envolvendo a sociedade para discutir propostas que serão levadas para o Congresso Municipal do Orçamento, a serem realizados nos meses de julho e agosto.
 
5ª Etapa: Congresso Municipal do Orçamento (julho e agosto)
O congresso terá a função de filtrar as propostas dos 14 fóruns temáticos e encaminhá-las em forma de propostas de políticas públicas a serem inseridas no Plano Pluri Anual – 2014/2017, por isso, chamado de PPA Participativo por ter o envolvimento da população no planejamento da cidade nos quatro anos de gestão.
 
6ª Etapa: Caravana de Prioridades (agosto)
Em uma ação conjunta com o Conselho Municipal do Orçamento Participativo, a Secretaria Executiva do Orçamento Participativo irá visitar as regiões e locais para aonde as demandas são indicadas.
 
7ª Etapa: Planejamento Participativo (agosto)
É a etapa em que as secretarias que tiveram o maior volume de demandas retornem ao ciclo em plenárias públicas para apontar as propostas que serão inseridas nas peças orçamentárias a exemplo da Lei Orçamentária Anual (LOA).
 
RO

DATA

LOCAL

3.

25/03

E. M. David Trindade  – R. José Mendonça  – Mangabeira  Prosind

2.

27/03

E. M. Anita Trigueiro do Vale – R. Professor Emílio de Araújo Chaves, Altiplano

1.

02/04

Espaço Gospel – Avenida Ruy Carneiro – Miramar

4.       

03/04

Ginásio Poliesportivo Odilon Ribeiro Coutinho – R. Mariângela Lucena Peixoto, Valentina I

5.       

04/04

E. M. Moema Tinoco – R. Severino Bento de Moraes, Grotão

6.       

08/04

E. M. João Monteiro da Franca –  R. Maria José do Amaral, Vieira Diniz

7.       

10/04

E.M. Dumerval Trigueiro – R Quatorze de Julho, 891, Varjão

8.       

11/04

E. M. Castro Alves – R. Manuel Guerra, Funcionários I

9.       

15/04

E. M. Luiza Lima Lobo Rua Carteiro Francisco Inácio R. Filho, Alto do Mateus

10.  

17/04

E. M. Frei Afonso – R. Santa Terezinha , Róger

11.  

18/04

E. M. Violeta Formiga – R. Alfredo José de Athaíde Mandacaru

12.  

22/04

E. M. Raimundo Nonato – R. Pedra do Reino, Gervásio Maia      

13.  

24/04

E. M. Leonel Brizola – R. Olívio T. de Medeiros, Miramar

14.  

25/04

E. M. Olívio Ribeiro Campos –  Rua Esmeraldo G. Vieira, 195 – Bancários

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.