Lista encontrada na casa de Santiago registra R$ 260 mil para Luciano Cartaxo

O deputado federal Wilson Santiago (foto), do PTB da Paraíba, terá seu destino decidido pelo plenário da Câmara dos Deputados nesta quarta-feira, 5, quando seus colegas de parlamento decidirão se mantêm seu afastamento imposto pelo Supremo Tribunal Federal, o STF. Santiago foi alvo de busca e apreensão na Operação Pés de Barro, em 21 de dezembro de 2019 e teve o afastamento do mandato pedido pelo ministro Celso de Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF). O parlamentar é suspeito de ter recebido propina do empresário George Ramalho em troca de tê-lo beneficiado na construção da Adutora Capivara, de onde teriam sido desviados cerca de R$ 3 milhões para proveito de Santiago e do prefeito de Uiraúna, Bosco Fernandes, que está preso.

A Revista Crusoé divulgou na noite de hoje uma lista contendo nomes de autoridades para as quais o deputado Wilson Santiago teria feito repasses financeiros. Trata-se de uma agenda na qual foram anotadas quantias e nomes. O mais conhecido deles é o prefeito de João Pessoa, Luciano Cartaxo (PV). O nome dele está anotado na relação ao lado da descrição de R$ 260 mil.

A Revista afirma que a lista completa tem o nome de deputados, prefeitos e ex-prefeitos de 62 municípios, mas só exibe o trecho que cita Cartaxo, o ex-vereador Marconi Paiva e o advogado Elson Carvalho.

Outro documento apreendido que chamou a atenção dos investigadores estava em uma mala de mão de Santiago. Nela, os policiais federais encontraram um registro de controle financeiro relacionado a uma aeronave de prefixo PT WRL. Para os investigadores, o registro aponta para “graves indícios de ocultação patrimonial para lavagem de dinheiro”. O motivo da desconfiança é que a empresa dona do avião tem como sócio Israel Nunes de Lima, filmado pela PF recebendo valores em espécie desviados da licitação para a construção da Adutora Capivara em Uiraúna, sertão da Paraíba.

1 comentário

  • Jair Cesar de Miranda Coelho
    22:43

    Corrupção. Desvio de dinheiro publico, enriquecimento ilícito, compra de votos. Bandalheira. Tem sim que ser presos, corrupto e corruptores, devolução do dinheiro roubado e perda de mandato. Simples assim. Parabéns a ilustre jornalista pela coragem e publicação da matéria. Mais uma vergonha para a Paraiba,.

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.