Líder do Prefeito aponta caráter político da greve dos professores

O líder do Governo na Câmara, vereador Tavinho Santos (PTB), acusou hoje a existência de interesse político na greve dos professores, cuja continuidade foi aprovada durante assembleia realizada na tarde de ontem. "Tem interesse político por trás, sim. O que é que Nadja Palitot estava fazendo na assembleia, ontem? Ela e o ex-candidato a prefeito Francisco Barreto querem tirar proveito da mobilização e até queriam discursar na reunião", disse Tavinho.

O vereador, contudo, declarou acreditar que a greve será suspensa para que os professores possam negociar com o prefeito Ricardo Coutinho: "Acredito no bom senso. A categoria vai se sensibilizar com a proposta de audiência do prefeito porque o que interessa é negociar para encerrar essa greve", disse Tavinho. Também de situação, o vereador Jorge Camilo disse ter percebido no dia de ontem a divisão da mobilização: "As opiniões estão divididas. A tendência é que a assembleia de amanhã encerre a greve".

Por outro lado, o líder de oposição, Hervázio Bezerra (PSDB) criticou a falta de diálogo por parte da prefeitura com a categoria. Ele também se posicionou contra a decisão do prefeito de suspender o reajuste de 10% aprovado pela Câmara para os docentes: "Não se pode suspender um reajuste, uma lei, simplesmente por causa da cara feia de um sindicato. Lamentavelmente, a greve continua porque falta diálogo", resumiu.

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.