Licença para extração de areia no rio Paraíba pode ser irregular

O deputado estadual Frei Anastácio (PT) denunciou hoje (6) no plenário da Assembléia Legislativa, que a extração de areia do Rio Paraíba está sendo feita através de uma licença com suspeitas de ilegalidade, nos municípios de Pilar, Cruz do Espírito Santo e São Miguel de Taipu e Itabaiana.

O deputado disse que a extração está sendo realizada por um delegado aposentado, conhecido por Jairo e por uma empresa de Recife, comandada por um homem conhecido por Pedrinho. “Eu estive nessas áreas e obtive a informação de que, além de abastecer diversas cidades da Paraíba, a areia retirada do rio estaria sendo exportada até para a Europa, através de navios”, denunciou Frei Anastácio.

Frei Anastácio enfatizou que é preciso que o Ministério Público investigue, com urgência, essa documentação que permite a extração de areia no Rio Paraíba. O parlamentar apresentou um painel com várias fotos dos locais onde está sendo retira a areia e acrescentou que o problema é uma cena repetida.

“Em 2003, as populações de Salgado de São Félix e de Itabaiana já reclamavam desse problema da retirada de areia do leito do rio. Fizemos uma audiência, onde autoridades, representantes de entidades e professores expuseram o problema. Inclusive, a partir do debate, apresentamos um projeto de lei que regulamentava o processo, mas a Assembléia não aprovou a matéria, e o problema agora se repete”, lamentou.

O parlamentar disse que está atualizando o projeto de Lei que a Assembléia não aprovou em 2003, para reapresentá-lo, em breve. “Espero que desta vez, os nobres deputados tenham a sensibilidade de ver melhor o problema e aprovem o projeto. A nossa intenção não é proibir a retirada de areia, mas sim regulamentar a extração e estabelecer normas e critérios para outras questões ligadas ao Paraíba e outros rios do Estado”, explicou.
 

TAGS

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.