Leandro Nunes afirma ter levado propina para Gervásio, Branco, Mineral e Genival

Ex-assessor da Secretaria de Administração do Estado, Leandro Nunes, o primeiro a ser preso na Operação Calvário, que apura desvio de recursos da Saúde e Educação revelou em depoimento ao Gaeco ter feito entregas de supostas propinas a alguns deputados da Paraíba. Segundo ele, Gervásio Maia teria recebido R$ 300 mil em uma rua do bairro de Jaguaribe.

“Eu me recordo que entreguei no Comitê Central da Epitácio dinheiro a Branco Mendes. Acho que foi R$ 50 [mil]. Livânia mandou eu procurá-lo [Gervásio Maia] para entregar… Eu liguei para ele e marquei com ele na rua, eu estava indo para a secretaria e marquei na rua em Jaguaribe. Antônio Mineral, eu não lembro quanto foi, mas foi no Canelle, acho que foi nessa faixa de R$ 50 [mil]. Genival Matias eu já entreguei uma vez e estava até com Livânia ali perto de Zarinha, mas não me recordo quanto foi”, disse o delator.

O depoimento foi prestado no dia 20 de fevereiro de 2019. Ela havia sido preso no dia 1º daquele mês na segunda fase da Operação Calvário.

Comentários