Justiça arquiva acusação contra Chica Motta na Operação Veiculação

Foi arquivada por decisão do juiz Rafael Chalegre do Rego Barros, da 14ª Vara Federal da Paraíba, uma ação movida pelo Ministério Público Federal (MPF) contra a ex-prefeita de Patos, Chica Motta (Republicanos), e outros alvos da Operação Veiculação, deflagrada em 2016. O grupo havia sido alvo de uma operação desencadeada pelo MPF, Polícia Federal e Controladoria-Geral da União (CGU) sob suspeita de desviar recursos públicos federais e municiais com a locação de veículos.

Além da ex-prefeita e ex-deputada estadual, a decisão do magistrado beneficia os ex-prefeitos de Emas (José William Segundo Madruga) e São José de Espinharas (Renê Caroca). Rafael Chalegre disse na sentença não ter encontrado elementos na ação que sustentassem a acusação do MPF de que eles formavam uma “organização improba”.

A ação ainda envolvia Kelner Araújo de Vasconcelos, Celino Henrique Leite, Graciliano Kalino Angelim Rodrigues, Orlando Dantas de Souza, Rafael Guilherme Caetano Santos, Carlos Alexandre Fernandes Malta, Renata Rafaella e as empresas Malta Locadora de Veículos LTDA, KMC Locadora Eireli e RC & MC Comércio e Locações de Veículos LTDA (atualmente MEGA LOC VEICULOS EIRELI).

A Operação Veiculação apurou supostas irregularidades em licitações e contratos públicos, em especial ao direcionamento de procedimentos licitatórios e superfaturamento de contratos, em razão de serviços de locação de veículos, realizados pelas prefeituras de Patos, Emas e São José de Espinharas. Na época, os três prefeitos foram afastados dos cargos.

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.