Juiz retira Marquinhos é Dez da presidência da Câmara em Pitimbu

Uma decisão emitida hoje pelo juiz Miguel de Brito Lira Filho pôs fim à pendenga jurídica na Câmara Municipal de Pitimbu. É que o atual presidente, Marquinhos é Dez, recorreu ao Tribunal de Justiça em um mandado de segurança com pedido de liminar contra a eleição realizada no dia 18 de fevereiro e que teve como vencedor o vereador Elcias Azevedo. O magistrado rejeitou o pedido de liminar e também arquivou o mérito da ação.

Ao mesmo tempo, Brito Lira Filho atendeu ao pedido de reconsideração feito por Elcias. É que a eleição dele foi suspensa no dia 21 por decisão do juiz Onaldo Rocha de Queiroga. Naquele dia, o magistrado previa a volta de Marquinhos à presidência da Câmara. Mas, com a derrubada do mérito da ação, Elcias volta a presidir o legislativo municipal.

Como alternativa jurídica, resta a Marco Aurélio Celani (Marquinho é 10) contestar o pleito que elegeu Elcias. Caso tenha êxito, a opção seria declarar eleito como presidente da Câmara o vereador mais votado da cidade: Genildo Barros (PP), candidato a vice na chapa de Elcias.

Em contato com o Parlamentopb, Elcias relatou que a Câmara de Pitimbu vive um momento crítico:

– Os servidores estão com quatro meses de salários atrasados, a luz foi cortada e as contas de água não são pagas há 10 meses. O gerente do Banco do Brasil de Alhandra bloqueou as contas da Câmara por causa das sucessivas reviravoltas no comando do legislativo, mas antes mesmo disso, o Tribunal de Contas já havia decidido bloquear porque os balancetes do mês de dezembro nunca chegaram a ser enviados pelo ex-presidente Marcos.

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.