José Raimundo contesta nomeação de Fred Coutinho para o TJ

Empossado desembargador na última quinta-feira, dia 22, o promotor Frederico Martinho da Nóbrega Coutinho já vive turbulências no novo cargo. É que dentro do próprio Ministério Público do Estado, de onde saiu a lista sêxtupla para avaliação do Tribunal de Justiça da Paraíba, um grupo de colegas questiona o processo de escolha e posse de Coutinho – segundo colocado na lista tríplice formatada pela corte e encaminhada para apreciação do governador José Maranhão. “É desconfortável essa situação, mas não acho que tenha havido qualquer irregularidade no processo”, desabafou o desembargador Fred Coutinho.

Tendo disputado a vaga de desembargador em decorrência da aposentadoria de Júlio Paulo Neto, Fred Coutinho foi segundo colocado na lista tríplice, com dez votos. Em primeiro, despontou o procurador de Justiça José Raimundo de Lima (12 votos); a procuradora Lúcia de Fátima Maia de Farias (nove votos) figurou na terceira posição.

José Raimundo de Lima, inconformado por ter sido preterido na nomeação, não vislumbra culpa no governador, mas atribui “informações distorcidas” que teriam chegado a José Maranhão.

Antes da escolha da lista tríplice na quarta, dia 21, o desembargador Márcio Murilo da Cunha Ramos levantou uma questão de ordem a respeito da maneira de votação da lista. Segundo o magistrado, a eleição deveria ser realizada de forma secreta e em sessão pública, e não aberta e motivada, como recomenda o Conselho Nacional de Justiça.

Jornal da Paraíba

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.