Jornalistas são agredidos por seguranças de Bolsonaro em Roma

Jornalistas que acompanhavam o presidente Jair Bolsonaro em Roma, após o término da reunião do G20, o grupo de países mais ricos do mundo, foram agredidos por seguranças. Enquanto outros líderes davam entrevistas coletivas, Bolsonaro saiu para se encontrar com apoiadores perto da Embaixada do Brasil na Itália. Foi quando aconteceram as agressões.

Ao perguntar a Bolsonaro por que ele não tinha participado de alguns eventos do G20 – Bolsonaro ficou isolado em boa parte do encontro, não teve reuniões bilaterais e não participou dos eventos finais da cúpula neste domingo (31) –, o repórter Leonardo Monteiro, correspondente da Globo, levou um soco no estômago e foi empurrado.

“Presidente, por que o senhor não foi de manhã no encontro do G20?”, perguntou o repórter. “É a Globo? Você não tem vergonha na cara”, respondeu Bolsonaro. Ao insistir na pergunta, Leonardo foi agredido.

O colunista do UOL, Jamil Chade, tentou gravar com o celular a agressão e foi também empurrado pelo segurança, que torceu seu braço, tomou seu celular e jogou-o em um canto da rua. Após as agressões, o segurança foi embora na direção do presidente, que seguia caminhando.

Houve ainda truculência vinda de seguranças e policiais italianos. E uma assistente da Globo que esperava na embaixada foi denunciada por apoiadores como “infiltrada”, sendo socorrida por uma jornalista da BBC que a ajudou a deixar o local.

Congresso em foco

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.