João Gonçalves aconselha Cícero a resolver problemas internos

O deputado estadual João Gonçalves sugeriu ontem que o seu partido, o PSDB, resolva primeiro os problemas internos para depois discutir nomes para as eleições municipais em João Pessoa.

Segundo ele, o PSDB tem uma pendência interna desde a campanha para governador, quando o partido se dividiu proporcionado com que uma ala indicasse o candidato a vice-governador (Rômulo Gouveia) numa composição com o PSB e a outra seguiu rumo diferente, inclusive apoiando a candidatura do PMDB ao Governo no segundo turno das eleições.

João Gonçalves, que em 2010 ignorou a composição com o PSB e optou pelo apoio à candidatura do então governador José Maranhão (PMDB), disse que não está mais na dissidência do PSDB.

Dissidência – “O partido precisa resolver primeiro sua situação interna. Não estou mais na dissidência e quero que o presidente estadual da legenda, o senador Cícero Lucena, reúna todo mundo e bote o partido para crescer mais. Quero a pacificação interna”, declarou João Gonçalves.

Sobre a discussão de nomes para possível candidatura tucana a prefeito de João Pessoa, o deputado afirmou que o assunto deve ser discutido internamente por todos os tucanos. Disse que agradece ao senador Cícero Lucena por ter lembrado do seu nome para uma eventual candidatura a prefeito.

Semana passada, Cícero disse que seria um honra ser candidato a prefeito da Capital, mas lembrou outros nomes como os deputados João Gonçalves (estadual) e Ruy Carneiro (federal) e Lauremília Lucena, que é sua esposa e foi vice-governadora na primeira gestão de Cássio Cunha Lima, entre 2003 e 2006.

João Gonçalves acredita que a lembrança do seu nome por Cícero deve ter sido por conta de uma pesquisa na qual ele apareceu bem posicionado.

Licença no porto para a Ambev – João Gonçalves disse que vai pedir ao governador Ricardo Coutinho que determine à direção da Companhia Docas da Paraíba a liberação de uma licença para que a Ambev possa inaugurar um terminal de armazenamento de malte no Porto de Cabedelo. A obra está pronta e necessita da concessão de uma licença para entrar em funcionamento.

De acordo com o deputado, a Ambev escolheu o Porto de Cabedelo para armazenar o malte importado para distribuir com todas as suas unidades no Nordeste brasileiro. Conforme João Gonçalves, a distribuição de malte a partir de Cabedelo para as fábricas de cerveja da Ambev nos Estados nordestinos, proporcionará um fluxo de 600 caminhões. Serão gerados 300 empregos diretos e 800 indiretos.

 

Correio da Paraíba

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.