Jeová garante inocência e atribui denúncia à disputa eleitoral e pessoal

Cláudia Carvalho

Apontado ontem pelo presidente do PT, Luiz Couto, como acusado de um episódio de pedofilia registrado em Cajazeiras, o deputado estadual Jeová Campos (PT) manteve contato com o Parlamentopb para apresentar explicações públicas sobre o fato. Ele garantiu ter provas materiais que o isentam de culpa no caso e disse que vai apresenta-las ao site tão logo retorne a João Pessoa. Em resumo, Jeová atribui a denúncia feita pela conselheira tutelar Andréa Coutinho a questões eleitorais ocorridas em Cajazeiras:

"Ela é minha adversária política. Movi um processo criminal contra ela e esse é o foco que motiva essa atitude de Andréa. Jamais me envolvi em qualquer caso de pedofilia e tenho como provar", declarou Jeová Campos.

Em entrevista ao Parlamentopb ele evitou entrar em atrito com o deputado federal Luiz Couto, mas também afirmou que a disputa eleitoral de 2010 teria estimulado a divulgação do assunto por parte do presidente da Comissão de Direitos Humanos da Câmara dos Deputados: "Luiz Couto vai perder a eleição de deputado federal para mim".

O Parlamentopb procurou o deputado e sua assessoria desde o momento da entrevista concedida por Luiz Couto à FM 100.5. O parlamentar esteve no sábado no Sítio Poço Vermelho, zona rural de Cajazeiras, onde não há cobertura de telefonia móvel. A assessoria retornou nosso contato à tarde e disse que Jeová falaria a respeito do caso tão logo retornasse a Cajazeiras. O Parlamentopb reafirma seu compromisso com o contraditório e disponibilizará amplo espaço para que o deputado Jeová Campos divulgue os dados que julgar adequados a respeito da denúncia apresentada pela conselheira tutelar. É uma conduta que será respeitada não apenas em relação ao deputado, mas para com todo e qualquer cidadão que seja citado em matérias no site.

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.