Jeová critica Mesa da AL porque não conseguiu se despedir

O deputado estadual Jeová Campos (PT) lamentou hoje a posição arbitrária do parlamentar João Henrique (DEM), que na condução dos trabalhos da Mesa Diretora da Casa de Epitácio Pessoa, encerrou a última sessão da 16º Legislatura repentinamente, sem sequer dar a oportunidade dos parlamentares se despedirem ou votar o restante das matérias incluídas nas sessões extraordinárias.

Para o deputado petista, a atitude do deputado João Henrique feriu a constituição e desrespeitou o plenário da Casa Legislativa. “Essa atitude violenta de João Henrique foi um sério ataque è democracia e um desrespeito à nossa constituição”, afirmou o deputado, explicando que estava prevista a realização de uma terceira sessão extraordinária para a votação de matérias que beneficiariam a Universidade Estadual da Paraíba, os odontólogos do estado e os defensores públicos, bem como seriam realizados os discursos de despedida dos parlamentares. “Nada disso aconteceu simplesmente porque a sessão foi encerrada abruptamente. Isso foi um absurdo”, reclamou Jeová da Tribuna.

Segundo o parlamentar a atitude teve motivação política. “No passado, esse deputado aprovou 17 planos de cargos de forma incrivelmente veloz para atender ao interesse de Cássio Cunha Lima. Agora ele fez o mesmo”, ressaltou o parlamentar, solidarizando-se às classes que ficaram prejudicadas em função do encerramento da sessão. “Lamento que esses projetos não tenham sido votados”, reforçou Jeová, destacando o projeto da UEPB. “Um deles, por exemplo, beneficiaria a universidade deslocando mais recursos do Estado para que ela possa se desenvolver ainda mais”, finalizou o deputado que integrará a Comissão representativa que atuará durante o recesso parlamentar de janeiro.

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.