Mário Tourinho

Administrador, pós-graduado em Planejamento Operativo, já atuou na administração pública federal, estadual e municipal


Jefferson x STF: “Que país é esse?!…” (I)

O Jefferson, no título referido, é o Roberto… Roberto Jefferson, deputado federal/RJ por 22 anos, cuja sequência de mandatos foi interrompida com a sua cassação pela própria Câmara dos Deputados (313 x 156 votos), depois de sua condenação judicial por “corrupção passiva” e “lavagem de dinheiro”, com a pena de 10 anos de prisão, reduzida pra 7 anos em regime semiaberto porque se tornou “delator” no processo denominado “mensalão”. E em março de 2016 foi “indultado”, pelo que, “perdoado”, voltou à atividade político-partidária, estando, desde abril daquele mesmo ano, como presidente do PTB, sucedendo sua filha, Cristiane Brasil, que, em nome do partido, fechara questão a favor do “impeachment” de Dilma Russeff, instrumento este, então, considerado, pelo próprio Roberto Jefferson, como legítimo na Democracia.

Nessa caracterização de um “embate” contra o STF, poderia, em vez de Jefferson, ter posto outros nomes, como o de Olavo de Carvalho (considerado como o “guru intelectual de Jair Bolsonaro e de seus filhos”), ex-integrante do Partido Comunista Brasileiro, mas, já nos anos 90, arrependido, tornou-se um dos mais severos críticos da “esquerda” e da “imprensa brasileira”. Em seu livro “O imbecil coletivo” e por entrevistas ou palestras, enfatiza que os da esquerda estariam “corrompidos pela autointoxicação ideológica, alçando-os a posições muito superiores aos seus méritos”. Seus “opositores” utilizam essas suas manifestações como bem apropriadas, também, aos que manifestamente se apresentam como da “direita”. A propósito, atribui-se a Olavo de Carvalho o surgimento da “nova direita brasileira”, ele que é severo crítico do desarmamento civil e nestes recentes dias defendeu a institucionalização da pena de morte para à mesma ser condenado o ministro do STF, Alexandre de Moraes.

Nossa pretensão, porém, com este texto, é destacar uma manifestação de Roberto Jefferson, recente, sobre o STF, em que propôs a “demissão de todos os seus atuais 11 membros”. Isto nos trouxe à lembrança a canção de Renato Russo, “Que país é esse?!…”. Mas, fica para a parte II deste texto.

Comentários