Nelson Barros

Nelson Barros é psicoterapeuta e escritor.


Já Deu Pra Aprender Algo?

Acho que ainda não. Mas deu pra perceber.

Que a gente produz muito lixo. Que a gente trabalha demais.

Que a gente não precisa de tanto.

Na verdade, o perigo dessa quarentena para “dona economia”, é justamente esse. Se a gente aprender que produz muito lixo, trabalha demais e não precisa de tanto…

Já deu pra aprender algo? Não sei.

Mas deu pra perceber que o melhor lugar do mundo é aqui e agora. Eu mesmo, cancelei viagens, festas, encontros pra algum dia lá num futuro, próximo ou distante. Os dias estão mais longos e sim, enquanto houver vida, existirá louça pra lavar. Mas foi ótimo acordar numa segunda-feira como se fosse domingo.

Já deu pra perceber que é preciso amar as pessoas como se não houvesse amanhã. Num dia eu escrevo sobre o abraço que a gente gosta de dar. No outro, sobre o abraço que já não se pode mais. Porque tudo pode estar por um segundo e nada do que foi será do jeito que já foi um dia.

Que a gente precisa de ar, água, pão e abrigo, nessa ordem, para sobreviver. E que dormir bem, canja de galinha, sensatez e um chazinho de erva-doce não fazem mal a ninguém. Mas para viver, VIVER mesmo, a gente precisa de arte e afeto.

Que nossa mãe tinha razão quando mandava a gente lavar as mãos.

Que o tempo não estava tão curto assim. A gente é que estava puxando o fio, pra que ele passasse mais rápido. E o nome disso é ansiedade.

Que agora, não tem saída, a gente vai ter que conviver um pouco consigo mesmo.

Eita! É aí que mora o perigo.

Vamos ver se toda essa autoestima propagada nas redes é verdade mesmo.

Senão, tá na hora de praticar as lições de autoajuda que tanto se compartilha. Medita, respira, inspira e não pira…

Que a estupidez humana pode ser assustadora. Mas a capacidade de cuidar do outro também é incrível. E é graças a isso que atravessaremos a tempestade e manteremos a esperança.

A gente já percebeu que a ciência é o caminho, a verdade e a vida.

E que o nome de Deus continua sendo usado em vão.

Que a medicina e a enfermagem são as mais belas das profissões. Mas que se o caminhão do lixo não passar, estaremos em apuros.

A gente já devia ter aprendido que, mesmo na pandemia do coronavírus, grupos de WhatsApp continuam carregados de substâncias tóxicas.

Que “fake news” são uma perversidade sem tamanho, sobretudo numa situação delicada como essa.

Que ter medo é direito de todos.

Que dinheiro não compra tudo.

Que não existe tanta loira no mundo.

Que a gente se arruma pra se mostrar, mesmo. E não tem nada de errado com isso.

Mas, pensa comigo, a gente já sabia dessas coisas todas, não sabia?

Sabia.

Agora estamos tendo a prova. Lembra aquela expressão da matemática, CQD? Como queríamos demonstrar.
Que vai passar. Tudo isso vai passar.

Eu só me pergunto, depois que passar:

Qual o tempo de validade da lição que, supostamente, estamos aprendendo?

Enquanto isso, se cuidem, não sejam teimosos, permaneçam em casa, tomem sol na varanda, compartilhem coisas saudáveis com as pessoas e não sejam virulentos nas redes.

Comentários