Indicação de Renato Feliciano para Turismo não entusiasma o “trade”

A indicação do empresário e advogado Renato Feliciano –  vice-presidente estadual do PDT e filho do deputado federal reeleito Damião Feliciano, do mesmo partido –  para ser o novo secretário de Turismo e Desenvolvimento Econômico da Paraíba não animou muito o setor. Mesmo ressaltando que respeitam e confiam na decisão do governador diplomado, entidades como a Associação Brasileira da Indústria de Hotéis (ABIH) deixou claro que já estava na hora do segmento ficar nas mãos de alguém que fosse realmente especialista na área.

O presidente da ABIH na Paraíba, Tadeu Pinto, foi mais enfático sobre a escolha. “Não conheço ele dentro do trade turístico. Por isso, não posso nem dar uma opinião mais concreta sobre o currículo dele. Mas acredito que o governador Ricardo Coutinho deva ter as suas razões bem mais consistentes. Se o trade fosse chamado a sugerir, não queria essa linha de pensamento”, garantiu. “Acho que precisaríamos de um profissional da área na secretaria. Tenho o seguinte pensamento ortodoxo: a pessoa para tomar uma decisão tem que conhecer o mínimo sobre o setor”, justificou.

Tadeu Pinto afirmou ainda que os desafios do novo secretário passará por vários focos. Um deles é normatizar o setor como um todo. Outro ponto é desenvolver políticas para captação de grandes projetos. O presidente citou ainda a necessidade do desenvolvimento das potencialidades paraibanas junto aos centros emissores regionais e nacional, com o objetivo de fortalecer uma relação comercial. “Ainda estamos bem aquém de outros estados, que geram mais emprego e renda na área”, observou.

ABAV – Outro que não poupou críticas à indicação foi o presidente da Associação Brasileira das Agências de Viagens (ABAV), seccional Paraíba, Beto Brunet, que também à frente do Fórum dos Municípios do Litoral Paraíbano, ligado ao Ministério do Turismo. “Na realidade, estávamos (o trade) ansiosos para saber a indicação. Eu, particularmente, achei a escolha um absurdo. Nosso estado nunca será prioridade no Turismo, porque nunca foi indicado um técnico já que sempre é uma indicação política”, desabafou.

Beto Brunet também ressaltou a necessidade da Paraíba correr atrás do atraso no setor. “Em vez de colocarem um técnico para alavancar o turismo, colocam o filho de Damião Feliciano, que é deputado federal. Ele pode até ter sido um bom político, mas não tem qualificação técnica. Vai levar uns três anos para ele se qualificar. E a Paraíba está há 20 anos de atraso com relação a estados como o Rio Grande do Norte e Pernambuco. Portanto, não podemos perder mais tempo”, acrescentou.

O presidente da ABAV citou ainda alguns problemas estruturais básicos que o setor de Turismo enfrenta e que deverão ser encarados como desafios pelo novo secretário. “O aeroporto da gente passa 16 horas ocioso, embora tenhamos conseguido adesão de novas companhias aéreas. Cerca de 75% da área do Porto de Cabedelo também é ociosa. A rodoviária está totalmente sucateada. Fora isso não temos Centro de Convenções para grandes eventos na baixa estação. Consequentemente, não temos investimentos em hotéis nem planos de marketing”, lamentou.

Entidades vão esperar resultados – Outras entidades tiveram opinião mais moderada com relação à escolha do novo secretário de Turismo e Desenvolvimento. Para a Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel-PB) e para o Convention & Visitors Bureau de João Pessoa, independente do nome escolhido para ficar à frente da pasta, o importante é formar uma boa equipe técnica.

Para o gerente executivo da Abrasel-PB, Frederico Porcaro, por exemplo, a hora é de unir forças. “Não conheço o trabalho dele (de Renato Feliciano). Mas por ser indicação do governador, acreditamos que vai desenvolver um bom trabalho. Esse conhecimento a mais que falam será subsidiado por uma equipe que tenha esse conteúdo técnico. Torcemos muito por isso”, afirmou.

Na opinião de Frederico Porcaro, um dos principais desafios do novo secretário de Turismo e Desenvolvimento será organizar o setor. “Tem que ´arrumar a casa´ e deixar o estado preparado para receber o turista. Uma das coisas mais importantes é a construção do Centro de Convenções e a qualificação profissional da mão-de-obra. Afinal, teremos eventos como a Copa do Mundo, no Brasil, e torcemos para sermos uma sub-sede”, comentou. “Também precisamos que o secretário olhe para os vários setores que formam o trade e tente diminuir a carga tributária para gerar mais emprego”, acrescentou.

A presidente do Convention & Visitors Bureau de João Pessoa, Elizia Lopes, também foi mais amena ao comentar a escolha do novo nome que irá compor a pasta. “Ficamos sempre na espera de que seja alguém da área. Mas como não foi, esperamos que ele esteja aberto a dar continuidade aos bons projetos. Estamos aqui para colaborar”, disse.

“Os cargos que o governador nomeia são de confiança. Portanto, cabe a ele colocar as pessoas certas na equipe. Temos a expectativa de que o novo secretário irá escolhes profissionais capacitados para isso”, afirmou.

 

Jornal da Paraíba

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.