IBGE vai contratar 4 mil para realizar Censo 2010

Representantes dos poderes Executivo, Legislativo e Judiciário dos estados e municípios, além de instituições da sociedade civil, vão se reunir com o o Chefe da IBGE, Aniberto Mendonça de Melo , para instalação na Paraíba da Comissão Municipal de Geografia e Estatísticas, já com bases preparatórias para as atividades do Censo 2010. A instalação da Comissão  acontecerá hoje, às 15h30 no Gabinete do Chefe da Unidade Estadual. As comissões funcionam como um canal de comunicação entre o IBGE e a sociedade, e participarão de todo o processo de realização do Censo 2010.

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – IBGE está desenvolvendo ações preparatórias para a realização do XII Censo Demográfico de 2010, que se constituirá no grande retrato em extensão e profundidade da população brasileira e das suas características sócio-econômicas e, ao mesmo tempo, na base sobre a qual deverá se assentar todo o planejamento público e privado da próxima década.

O Censo 2010 será um retrato de corpo inteiro do país com o perfil da população e as características de seus domicílios, ou seja, ele nos dirá como somos, quantos somos e como vivemos.

A fase preparatória da operação censitária teve início em 2007 e seus trabalhos foram intensificados a partir de 2008. A coleta está fixada para começar em 1º de agosto de 2010 e o início da divulgação dos resultados em dezembro do mesmo ano.

Historicamente, o IBGE tem contado com a colaboração das comunidades locais durante a etapa de preparação e coleta dos dados dos censos.

As Comissões Censitárias Estaduais também terão papel fundamental auxiliando no preparo  infra-estrutura e na execução da coleta de dados, é nesse momento que o IBGE multiplica o seu quadro de colaboradores a fim de garantir a perfeita cobertura do território e a fidedignidade das informações levantadas.

Capital – O Comitê do Censo 2010 em João Pessoa, vai acompanhar os trabalhos do IBGE em pelo menos cerca de 200 mil domicílios a serem visitados. A comissão terá como objetivo criar facilidades, disponibilizar insumos para a base territorial do IBGE, oferecer apoio logístico no âmbito do estado, acompanhar as atividades censitárias com vistas à obtenção da cobertura territorial correta e da melhor qualidade dos dados que serão levantados e, auxiliar na divulgação do Censo em todas as suas fases. O IBGE irá trabalhar em cerca de 600 setores censitários, são pequenos pedaços de João Pessoa onde em  média está cerca de 350 domicílios.

Vagas temporárias – Na Paraíba,  4.500 setores censitários, pequenos pedaços do território paraibano, serão visitados por mais de 4 mil pessoas envolvidas na operação (coleta, supervisão, apoio e administrativo), que incluem contratos através de concursos públicos e servidores do quadro permanente da instituição, onde estarão sendo visitados cerca de um milhão de domicílios, nos 223 municípios paraibanos.

Ao fim da pesquisa de campo, os resultados provisórios do Censo 2010 serão apresentados aos membros das comissões, que terão então a oportunidade de averiguar a qualidade da cobertura e, se for o caso, propor verificações.

Na maior operação já realizada por uma instituição de pesquisa, através da qual serão visitadas cerca de um milhão de domicílios, o IBGE estará se utilizando na Paraíba, de mais de 3 mil computadores de mão equipados com os mais sofisticados recursos tecnológicos, a utilização do GPS e, para a perfeita cobertura dos trabalhos e agilização dos resultados,  mais de 223 postos de coletas serão totalmente informatizados até o início de agosto de 2010, quando o XII  Recenseamento Geral do Brasil começa.

O maior censo – Se é verdade que apenas as sociedades que conhecem a si mesmas podem planejar e construir os seus futuros, o Brasil já pertence ou caminha rapidamente par esse grupo de países. Crescem, tremendamente, as demandas em nosso País, por informações cada vez mais detalhadas e desagregadas geograficamente.

A descentralização político-administrativa reinstaurada com a redemocratização e a constituição de 1998 aumentou a relevância dos Censos. Prefeitos e governadores, órgãos de planejamento municipais e estaduais, investidos de maior autonomia e de novas responsabilidades, dependem de hoje, como nunca, dos censos para definirem suas políticas com base em informações atualizadas sobre a população sob suas jurisdições. Mas as demandas por informações desagregadas vêm também de outras esferas, que vão do setor não-governamental e privado a do governo federal.

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.